sábado, 31 de dezembro de 2011

ANO NOVO

Mais alguns minutos
e transporemos o muro
que separa o ano que expira
do ano que está nascendo.

Plagiando o grande Drummond de Andrade,
diremos aos amigos e aos inimigos:
vamos juntos, vamos de mão dadas,
não precisamos ter pressa,
porque o ano novo nos espera
ali na esquina.

Estamos em contagem regressiva,
mas ainda há tempo
para conectar nosso coração
com o Senhor do Tempo
e pedir que ele derrame
sentimentos de fraternidade, paz e amor
sobre a humanidade inteira!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

2012

Ontem, quando examinava
o calendário do próximo ano,
a parcela simplória que reside
no meu subconsciente
pensou em voz alta,
por isso que o mundo vai acabar,
2012 é ano bissexto.

Nossa herança atávica
trouxe a crendice
de que anos bissextos
são geralmente
anos de mau agouro.

Dois eventos marcantes,
da nossa história
ocorreram em anos bissextos:
a Revolução de Trinta,
divisor de águas entre o Brasil arcáico
e a fermentação de um processo
que levaria a nação na direção do futuro.
Já o golpe de 64
ou a contrarevolução
de famigerada memória
é uma nódoa que nos envergonha.

As grandes conquistas do esporte bretão
na terra "A pátria de chuteiras"
não aconteceram em anos bissextos.
Se tal houvesse ocorrido
estaria bem colocado,
pois nós lapidamos o esporte
que os ingleses inventaram
e agora o Barcelona da Espanha
está reinventando.

Apesar do glamour que o termo bissexto
exerce sobre a mente do poeta,
nascido em ano bissexto,
 ao fim e ao cabo,
períodos bissextos não se caracterizam,
necessariamente, por épocas
de eventos extraordinários.

sábado, 24 de dezembro de 2011

NOITE DE NATAL

Nesta noite de Natal,
busquemos a paz,
mãe de todas as virtudes;
a paz que Jesus levava às almas receptivas:
"A paz esteja nesta casa"
"A paz esteja contigo"
"A paz esteja convosco"

Nesta noite de Natal,
busquemos a verdade
extraída dos ensinamentos do mestre,
e que ela seja hoje e sempre
nossa estrela de Belém.

Nesta noite de Natal,
conectemos o nosso coração
à  humildade e a mansitude de Jesus,
justamente ele, o espírito mais elevado que já passou por aqui,
desfilava a simplicidade diante do poder temporal.

Nesta noite de Natal,
elevemos nosso pensamento
acima da simbologia terrena
e resgatemos o sentido sublime
das palavras daquele que veio mostrar
o caminho, a verdade e a vida.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

ERICO

Vai aqui esta singela homenagem ao escritor gaúcho, Erico Verissimo,
nascido em 17 de dezembro de 1905. Sempre lembrarei com carinho, da enorme
alegria que senti ao ler seus livros.


Quando eu passo pela rua Erico Verissimo
lembro do escritor de Cruz Alta
e o pensamento me leva de volta à emoção
que senti ao ler "Olhai os lírios do campo"

A primeira leitura do autor querido
a gente nunca esquece
mas no caso específico em questão
todas as leituras são inesquecíveis.

Erico, a saudade, o tempo, o vento,
Antares, Música ao longe...
Erico, criador de Vasco, Eugenio, Clarissa,
Campolargo, Ana Terra, Capitão Rodrigo...
São tantas personagens marcantes!
Erico, escritor universal, gaúcho por contingência,
da Rua Felipe de Oliveira, em Porto Alegre,
escrevia para o mundo.

Nos finais de tarde de tempo bom
quando vejo algum senhor compenetrado
com boné na cabeça e andando devagar,
lembro de Erico ao fim da jornada,
caminhando pelas ruas do bairro Petrópolis,
conversando com seus personagens...

sábado, 17 de dezembro de 2011

JOSÉ LUTZEMBERGER

 17 de dezembro, data natalícia de duas personalidades desta terra:
José  Lutzemberger e Erico Verissimo. Hoje vamos homenagear
José Lutz.


Hermann Hesse, grande escritor alemão,
prêmio Nobel de literatura de 1946 disse:
"A verdadeira profissão do homem é encontrar
seu caminho para si mesmo"
O gaúcho José lutzemberger
desconstruiu este axioma
e transformou a profissão dele
num caminho de abrangência humanitária.
Nosso homem em foco
era agrônomo e durante a juventude
esteve comprometido com os interesses internacionais,
mas no início da década de setenta,
Lutz viu a luz no caminho de Damasco
e abandonou sua bem-sucedida carreira
de técnico de uma grande multinacional
para se transformar no mais ferrenho
defensor ambientalista deste país,
ficando conhecido no mundo inteiro.
Dentre tantos trabalhos de Lutzemberger
vale destacar a fundação Gaia,
um centro de estudo em prol
da conservação do planeta.
Nas minhas orações
invoco o espírito do anjo Lutz,
pedindo que ele intua os homens de boa vontade
à sagrada missão de lutar
pela saúde da terra.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

EVOLUÇÃO

A terra ainda não foi inserida
no contexto dos mundos evoluídos.
 O adiantamento do nosso planeta
acontecerá na relação direta
do progresso evolutivo do homem.

Nosso progresso intelectual
não tem andado a par e passo
com nosso avanço moral.
Se já andamos alguns degraus
na área científica
ainda precisamos aprender muito
no campo espiritual.

Importante  que não ficaremos para sempre
estacionados no lugar em que nos encontramos agora.
Quando despersonalizarmos o ego,
nossa sensibilidade irá fluir;
despidos do véu da ignorância,
iremos compreender que tudo gira
de maneira harmônica no universo,
que nada acontece por acaso,
porque tudo tem uma explicação
com base nas leis de causa e efeito,
apesar de muitas vezes acreditarmos
que estamos condenados às leis fatalísticas,
sobretudo, quando observamos os eventos fenomenológicos
somente pelo ponto de vista imediato.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Andei durante muito tempo
de um lado para outro
feito um sonâmbulo 
procurando coisas que desconhecia.

Durante muito tempo eu me perguntei
o que estou fazendo aqui?
Existe um destino traçado para mim?
Encontrarei a felicidade algum dia?

Milhares de teorias,
livros de auto ajuda,
seitas eletrônica,
homens santos
estão por toda a parte
a vender a verdade .

O mercado da Nova Era
está na ordem do dia:
as mandalas,
os tarôs, 
os sortilégios.
Panacéia comercializada
ensejando a se pensar
que o oráculo de Delfos
vai ser restaurado.

Plagiando aquele famoso poema 
do dramaturgo William  Shakespeare:
Um dia a gente aprende...
Um dia a gente aprende com a dor!
 Seremos capturados pelos caminhos amargos
no momento em que estivermos
preparados para suportá-los.
Entretanto, passadas as tempestades
virá o tempo das bonanças,
a alegria, corolário da experiência,
satisfação do dever cumprido
em virtude de se ter feito a  coisa certa,
momento do espírito apaziguado, eis a felicidade:
singularidade de um  estado de espírito.



segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

DÁLIA

Cara  amiga,
amante das flores,
certamente, a Dália
não é a tua favorita.

 Quando os floricultores
elegem suas prediletas;
nomeiam as rosas,
as  tulipas,
as bromélias;
geralmente esquecem das Dálias.

 Que flor sobe ao pódio
em  ocasiões especiais?
Nunca uma noiva
jogou um  buquê  de Dálias
às meninas casadoiras!

Quando as  gurias desvairadas
jogam flores aos artistas
dos seus shows preferidos,
jogam Dálias, por acaso?

Roberto Carlos ao final dos espetáculos
não atira Dálias às fanzocas
comprimidas na área do gargarejo!
Alguém poderia dizer que as Dálias
não estariam à altura da Majestade
e nada mais  natural que ele utilize a rosa,
a flor dos momentos solenes.

Eu, particularmente, gosto de todas as flores,
- essas maravilhas que dão cor à vida -
mas desde onde a memória alcança,
cultivo  um carinho especial pela Dália,
essa flor simples, bela e perfumada.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

BALANÇO DE FIM DE ANO

Nas proximidades de virar
a última folha do calendário,
fazemos um inventário
de mais um ano em nossas vidas.

Deste balanço, geralmente,
ansiamos por uma leitura favorável.
Desejamos que a coluna Haver
dê resultado positivo.

Nossa preocupação gira, via de regra,
em torno de valores pecuniários.
Na equação ganhos e perdas
procuramos condicionar as incógnitas
determinantes do lucro.

 São operações normais,
adequadas ao progresso mercantil.
Se procedêssemos de modo diverso,
a humanidade, certamente, haveria avançado menos.

Porém, precisamos fazer alguns reparos
para alterar a resultante do balancete,
mas o ajuste necessário é de ordem moral,
não é medido em valor monetário.
O quociente é aferido através
de um exame de consciência:
que bem eu pratiquei ao próximo
no decorrer deste exercício?
O que eu poderia ter feito em benefício
dos doentes, dos desvalidos, dos famintos,
mas deixei de fazer?
O que eu poderia ter feito pela saúde do planeta,
mas não fiz?