terça-feira, 27 de agosto de 2013

AGOSTO

Caiu uma chuva gelada,
no fim de semana,
aqui no velho Rio Grande.
Agosto não quis ir embora
sem deixar a marca
de mês maldito
para quem não gosta do frio.

Agora, quando parou a chuva,
estamos recebendo uma visitinha
vinda da velha Europa;
está nevando há algumas horas
em várias cidades gaúchas.
Enfim, mais um espetáculo inesquecível
aqui no sul.
Este inverno vai ser completo.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

E A NOSSA MÚSICA

Cresci ouvindo a música
da Bossa Nova
intercalada com a melodia
da Jovem Guarda.
Era o trabalho de qualidade
de João Gilberto, Tom Jobim,
Vinicius de Morais,
mesclado com o balanço cor de rosa
da turma do Iê-Iê-Iê.
Depois vieram Elis Regina, Caetano Veloso,
Gilberto Gil, Chico Buarque, Milton Nascimento...
Depois deles?
Bem, agora, vez que outra,
aparece alguém cantarolando um refrão...

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

AQUELE CARA ERA DOIDO?

Tive dificuldade com matemática e física
durante o curso secundario.
Números e cálculos, naquele tempo,
foram meus algozes.

Nas proximidades do final
de cada ano letivo,
angústia e medo
eram minhas parceiras
e a certeza de recuperação,
mais provas de segunda época.

Entretanto, no terceiro ano,
conclui o curso com tranquilidade.
Mas a reversão da expectativa
aconteceu graças à ajuda externa,
vinda de onde eu não imaginava.

Justo, naqueles dias,
ao finalzinho das tardes,
aparecia um andarilho lá em  casa
e ficava tomando chimarrão conosco.
Éramos os únicos que o  acolhíamos.
A rua inteira tinha medo do cara.
 Diziam  que ele poderia ser perigoso.

Uma ocasião, o cara percebeu
minha incompatibilidade com os cálculos
e para o meu espanto ofereceu assistência.
Vendo minha cara de desconfiança,
o rapaz falou que a dificuldade de compreensão
existia em virtude da sistemática ortodoxa do ensino.
Disse que faltava aos professores,
versatilidade de método.
Com o passar dos dias percebi,
que o cara improvisava, destrinchava conceitos,
aparava arestas...Era um enciclopédia ambulante!
Sob a orientação daquele "elemento perigoso"
era impossível não assimilar os contéudos
que antes foram-me tão espinhosos...

No final daquele ano,
o cara passou lá em casa,
antes de prosseguir seu destino
de peregrino do mundo.
Foi quando a polícia  apareceu
atrás do nosso amigo.
A lei vinha a pedido dos vizinhos.
Menos mal que tudo foi esclarecido:
o jovem era formado em nível superior
por universidades americanas
e procedia de familia digna.
Nós ainda insistimos para ele ficar
em nossa cidade,
que iríamos tentar colocá-lo no mercado de trabalho,
mas ele agradeceu e justificou,
que não passaria em qualquer teste psicologico,
pois tinha problemas mentais...fora considerado
pela ciência, um inútil!








quarta-feira, 14 de agosto de 2013

FOI ASSIM

O ser vivencia situações interessantes
nas extremidades da existência...
Lembro que a gente queria queimar etapas
lá atrás, nos dias incadescentes da infância;
quando ansiávamos, inquietos, pelo depois.
Queríamos empurrar a roda do tempo,
porque imaginávamos que a felicidade
morava na casa dos adultos.

Não demorou muito e veio o "depois"
destituído daquela suntuosidade
que a gente o havia revestido
e foi passando com tal voracidade
que um dia  a velhice bateu na nossa porta...

Agora, quando a gente acena
para o  menino que habitou a nossa pele
ele olha incrédulo a paisagem...



sábado, 10 de agosto de 2013

MEU PAI

Meu pai nunca disse
para eu ler.
Meu pai lia
e de vê-lo lendo,
peguei gosto pela leitura,
antes de conhecer o alfabeto.

Lembro-me de quando
sentava ao lado dele
e  ficava lendo no seu rosto
a emoção extraída das páginas
daquele mundo misterioso
que eu queria conhecer.

Quando eu perguntava
o que havia dentro
dos livros lidos,
ele resumia os conteúdos
no nível da minha compreensão.

Anos mais tarde, já na adolescência,
quando eu ficava desapontado,
porque o livro que acabara de ler
não continha a história maravilhosa,
meu pai vinha me consolar:
filho, não encontrarás o mundo perfeito
através da leitura, mas não desanimes,
 porque a literatura, via de regra,
é construída com os fragmentos da realidade.


sexta-feira, 9 de agosto de 2013

A FAMÍLIA REUNIDA

No século passado
a família Silveira
era bem falante.
Os membros do clã
dissertavam sobre tudo
a qualquer hora.

Os jantares extensos
eram acompanhados
por debates intermináveis,
quando tergiversavam
a respeito de tantas coisas...

Mas com o andar da carruagem do tempo,
aquelas querelas de outrora
ficaram restritas aos intervalos
das novelas televisivas
ou quando a bola ficava fora de jogo
durante as partidas de futebol,
transmitidas pela tv a cabo...

Atualmente, os Silveiras
usam menos a boca
e mais as mãos para a comunicação diária.
Durante os  comerciais da tv
eles trocam   ideias virtuais
através dos seus androids...

terça-feira, 6 de agosto de 2013

A META

O homem é um animal social
que ainda não aprendeu
a viver em sociedade.

No futuro - talvez distante -
o homem haverá de compreender
que o ego é a doença
que corrói suas entranhas.

O mundo será perfeito
quando o homem assumir o papel
que lhe cabe no projeto divino.

E o mundo ideal surgirá
quando não houver necessidade
da presença das autoridades,
da cartilha dos tribunais,
do aparato do estado,
porque a lei do amor
haverá de delinear
as relações humanas.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

CAMINHEMOS

Meus camaradas,
amigos e inimigos meus,
adeptos de todos os cleros,
sectários de todas as ideologias,
companheiros, enfim, de jornada,
caminhemos na direção da mudança
do nosso comportamento
diante do eventos
que fogem do nosso controle!

É necessário sublimarmos
nossas fraquezas,
nossos medos.
É tempo de aprendermos
com a lágrima teimosa
diante dos eventos imutáveis!