quinta-feira, 31 de outubro de 2013

PRECISAMOS CRESCER

No momento em que o país
está sob às circunstâncias
de uma guerra civil,
qualquer coisa aleatória
é motivo de estímulo
ao recrudescimento da violência.
E a criminalidade campeia
como nunca se viu por aqui.
São os rebeldes sem causa
associados aos criminosos,
infiltrados nos movimentos reivindicatórios,
destruindo a propriedade alheia,
atentando contra a vida
do cidadão comum encurralado.
Estamos vivendo um tempo de purgação
às expensas de uma legião
de espíritos perturbados
ainda sem noção
do despertar da consciência.

sábado, 26 de outubro de 2013

JOGO SUJO

Faz muito tempo,
que os ianques monitoram
os países periféricos
Enquanto o achincalhe
ocorria com os pequenos,
o mundo inteiro
fazia vistas grossas.
Mas agora,
os americanos do norte
não respeitam mais ninguém.
O colonialista moderno
mudou o alvo,
entrou com tudo
na espionagem industrial
Querem saber agora
quantos barris de petróleo
o Brasil vai produzir.
Mas o Brasil, talvez digam
os próprios brasileiros,
sempre foi tipo terra de ninguém.
Tudo bem, pode ter sido,
entretanto, temos nossa soberania,
respeitamos todos os povos.
reconhecemos o sagrado direito
de autogestão de qualquer nação,
mas repudiamos toda e qualquer
intromissão indevida na nossa pátria.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

MELHOR SERIA SE NÃO FOSSE VERDADE

Chegaram os médicos de fora
vindos da Ilha de Cuba,
porque a saúde está doente,
justificou a nossa mandante.
Até parece que ela não conhecia
as mazelas do quadro social.

Chegaram os médicos de fora
para cuidar da vida do povo,
mas esqueceram de avisá-los
que não existe espaço físico
para a prática do ofício a contento.

As emergência estão atulhadas,
a falta de de hospitais é gritante
A população aumenta a todo ano,
o crescimento da demanda é latente,
entretanto, nos últimos trinta anos
não construíram, praticamente, nada de novo.

Chegaram os médicos estrangeiros
para aprender nossa língua,
durante o estágio no trópico.
Será que engordarão seus currículos?

Ao cabo desta cronica fica a pergunta:
os doentes daqui continuarão morrendo,
enquanto aguardam por consulta na fila de espera?
Sim! Mas só aqueles que não podem
pagar os médicos particulares...
Ãhãm. Urrum. Ahrra.

A realidade, às vezes, parece ficção!




terça-feira, 15 de outubro de 2013

AO MESTE COM CARINHO

Quando eu entrei na escola,
no finalzinho da década de cinquenta,
o professor era o cara.
Acho que tal como acontece hoje,
o salário do educador era baixo,
mas nós, educandos, respeitávamos o mestre.
Bons tempos aqueles quando o professor
tinha autoridade na sala de aula;
quando os pais cobravam dedicação plena
dos filhos nas coisas do aprendizado.
Naquele tempo, os pais não trocavam
os filhos reprovados de colégio,
mas exigiam esforço redobrado deles
para o ano seguinte...


   DESABAFO

Por que será que se investe tão pouco
em educação neste país?
Por que será que o tema vem à tona somente
alguns meses antes das eleições majoritárias,
mas passado o evento não se toca mais no assunto?
Por que será que é inserida na mídia
propagandas falaciosas  relativas
a um avanço inexistente na educação?
Será os mentores do nosso Pa-tro-pi imaginam
que pensar faz mal à saúde e por isso não permitem
que a cadeira de Filosofia seja administrada
no currículo das escola pública?
Será que os nossos políticos acham bonito
milhões de tupiniquins bitolados e despreparados
para a vida por falta de um ensino de qualidade?
Por que será que os projetos educacionais
adequados à nossa realidade
como o projeto CIEPS do saudoso Darci Ribeiro
não saiu do papel, ou por outra, foi abortado
logo nos primeiros anos?
Minha gente, quando vai mudar o panorama?


sábado, 12 de outubro de 2013

CRIANÇA

Lembro-me que antigamente
as crianças brincavam.
Era o jogo de bola de gude,
lançamento de pandorga,
o lance da cabra-cega...
Na época do meu doce alvorecer
a gente também inventava alguns brinquedos
Sei que no meu tempo infante
fui extremamente feliz.
Já meus filhos cresceram
correndo atrás do pacman,
do Super Mario e de outras ficções
videogeimistas...
Hoje, sob a invasão digital
parece que as crianças
 perderam a infância;
elas crescem conectadas
através do mundo virtual.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

SAUDOSISTA

Dizem que todo saudosista
é um chato de galochas,
que sonha com o retorno
da camisa volta ao mundo,
o sapato plataforma
e a calça Lee, azul e desbotada.

Dizem que o saudosista
 não bebe refrigerante
porque a gasosa acabou,
não existe mais Grapete
nem Mirinda nem Guarinda
nem Guaraná Frisante...

Dizem que o saudosista
deixou de lado as biritas;
hoje é um careta
de cara limpa,
que por vezes ainda sonha
com a Cuba Libre,
com o Vermute Sinzano
e o velho sambinha
de conhaque com Coca-Cola...

Dizem que o saudosista nacional
suspira, assistindo teipes enrugados
do nosso escrete na copa de 70,
porque depois daquele evento
nosso futebol perdeu a graça...

Quando surgiu a Internet
nosso saudosista,
que cresceu com o radinho de pilhas
e a tv valvulada, em preto e branco,
torceu a cara diante da novidade,
mas por pouco tempo,
porque graças à nova ferramenta,
revive as coisas  da juventude
junto aos vídeos do Youtube.



terça-feira, 1 de outubro de 2013

CORREIO DO POVO

Deixo aqui minha minha singela homenagem ao Correio do Povo,
por ocasião do aniversário deste jornal  fundado em 01 de outubro
de 1895.




Cresci lendo o Correio do Povo,
jornal fundado no final
do século dezenove.
Panteão comunicativo e cultural,
paradigma da informação isenta,
sinônimo de credibilidade.
Eu também lia as filhas do Correio:
A Folha da Manhã e a Folha da Tarde.
Minha satisfação dobrava aos finais de semana,
pois o Correio trazia encartado
o suplemento literário Caderno de Sábado,
por onde desfilavam cronistas, contistas, poetas...
No Correio de Sábado também havia o Caderno H,
página assinada pelo meu ídolo maior, Mario Quintana.
Naqueles tempos de sonhos,
eu começava minha contagem regressiva no domingo,
esperando ansioso o sábado seguinte...