quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

MATAR, JAMAIS!

Meus irmãos terráqueos,
prosseguiremos até quando
exterminando nossas companheiras?

Nesta guerra unilateral,
estamos matando mulheres
como se matássemos moscas!

Mulheres da Era Cibernética
merecem melhor sina,
entretanto, muitas consortes
sofrem mais que as mulheres de Atenas.

Esposas, namoradas, amantes
dividem a cama com o bandido
na esperança de que a omissão
prolongue a reles existência.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

É


Meus medos aos vinte anos eram:
ficar velho,
perder os cabelos,
perder os dentes,
usar óculos,
também tinha medo
de andar na rua
e ser preso pelos milicos da revolução
e tinha medo de que a ditadura não acabasse,
e nunca pudesse votar para prefeito,
governador, presidente...

Quado fiz trinta anos,
tinha medo do meu medo.

Aos quarenta anos,
tinha medo de que a liberdade
fosse uma miragem.

Aos cinquenta anos,
tinha medo de que minha passagem por aqui
fosse inútil.

Agora, aos sessenta e poucos,
tenho medo de andar na rua,
porque nossas ruas se tornaram
locais de alto risco de vida
e tenho medo de votar para governador,
vereador, deputado, prefeito,
senador, presidente,
pois mesmo que meus candidatos
sejam pessoas determinadas,
coesas e honestas,
acabarão de mãos atadas
em meio ao sistema corrompido.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

QUE CALOR, TCHÊ!

Nos últimos dias, temos sofrido os efeitos
da super canícula tropical,
apesar de estarmos localizados
numa da três capitais brasileiras mais frias
durante a estação civilizada.
E não importa por onde se ande,
de dia ou à noite, o calor anda atrás da gente.

E para agravar a situação super quente,
os equipamentos de ar condicionado,
 insatisfeitos com as condições adversas,
 prometem entrar na Justiça do Trabalho
em ação reclamatória conjunta
contra os patrões que os obrigam
ao trabalho em sessão full time.

Como já não chove há vários dias
tudo fica seco, poirento e quente...
Parece que o calor senegalesco
afetou os neurônios das nuvens
e elas esqueceram de mandar
descer chuva na terra.

Já tem gente imaginando
que o calor atípico vai alterar
o sistema psicológico da noite
e ela descontrolada, de repente,
tomará o rumo de Marte...




terça-feira, 21 de janeiro de 2014

COPA E ELEIÇÃO

Em ano de copa
do mundo,
muitos temas
ficarão fora
da pauta.
Diversos assuntos
relevantes
não serão discutidos,
entretanto,
também é ano de pleito,
de caça ao voto
do eleitor distraído...
Mas de que adianta
estar atento,
de olho no movimento
do tabuleiro político,
se as peças do jogo
são cartas marcadas
de um sistema viciado
que se alimenta de frases de efeito
e da troca de favores
entre os comparsas do Congresso?

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

PRECISAMOS CRESCER, CRESCER, CRESCER...

Somos campões na arte de reivindicar direitos
para o nosso próprio desfrute.
Entretanto resistimos à obediência
do direito líquido e certo de terceiros.

Almejamos todas as vantagens do mundo
para a fruição do nosso deleite.
Se nosso semelhante não tem acesso
isso não é problema nosso.

Eximimo-nos quase sempre  da tutela
dos eventos recorrentes à nossa volta,
independente de toda circunstância
responsabilizamos sempre os governantes.

Propalamos, orgulhosos, a toda gente
nosso caráter retilíneo, uniforme, circunspecto.
Elucidamos com pavonice nossa religiosidade:
arautos da palavra jogada ao vento...
Nossa moral de consumo  embalada em papel celofane,
escamoteada no foro das vaidades...

Justificamos nossas omissões quando chamados à solidariedade,
gritamos que nos falta essencialmente tempo,
que estamos sobrecarregados por tarefas inadiáveis.
Mentimos que gostaríamos imensamente de ajudar os necessitados,
mas não sabemos como e nem por onde começar
como se a oportunidade não batesse à nossa porta
todo o dia, a todo o instante, a toda hora...


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

CALOR, CALOR, CALOR...

Eu que amo o clima ameno do inverno
- principalmente quando cai alguma neve -,
os dias nublados e chuvosos
e a aragem gostosa do minuano,
ando sufocado neste verão
de temperatura na casa dos quarenta graus...
Parece que o sol vai descer na terra
para  assar a pele da gente...
Os dias ultimamente andam tão quentes
que estou reciclando alguns hábitos,
até tenho trocado o velho chimarrão
por uma generosa taça de sorvete.

domingo, 5 de janeiro de 2014

ANO DE COPA

Nasci no ano do Maracanasso,
quando o Uruguai humilhou nosso escrete,
levando o título da nossa Copa do Mundo.
Em 1958, ano do nosso primeiro título mundial,
minha visão do futebol ainda era confusa,
 mas gravei alguns nomes mágicos;
Pelé, Garrincha, Didi, Vavá, Zagalo...
No bicampeonato do Chile eu vibrei
com alguns daqueles mágicos que ainda estavam na  seleção,
exceto Pelé que se quebrou no meio da copa
e não disputou a partida final.
Em 1966, Inglaterra, eu chorei com nosso despenho;
nossa pior campanhas nas copas
Mas em 1970, veio a redenção,.
foi o Brasil Show! Trilegal!
Futebol arte: balet sincronizado na condução da bola,
como nunca mais se viu, por  bailarinos maravilhosos
(Felix, Carlos Alberto, Brito, Piazza, Everaldo. Clodoaldo, Gerson, Pelé, Rivelino, Jairzinho e
Tostão)
Depois vieram as laranjas mecânicas, os chucrutes
la mano de dios, o futebol pulmão...
Ganhamos mais duas copas, jogando feio.
Agora, 64 anos após o Maracanasso, somos anfitriões outra vez,
mas parece que não temos nada para mostrar  ao mundo...
Felipão, pede para os meninos jogarem bonito!

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

TUDO PASSA

Fomos a passagem de mais um ano findo.
Somos a esperança do ano que nasce.
Seremos o percurso de mais um ano que passará.
Somos a trajetória de um sopro projetado na noite da criação.
Somos as reminiscências do vento soprado nos dias sombrios da existência.
Somos o efeito da contagem do tempo refletida na nossa pele.
Somos a medida do tempo para consumo doméstico.
Somos o botão de controle daquilo que é incontrolável.
Somos o reflexo do que amamos e perdemos pelas curvas do caminho.
Somos o conjunto dos átomos transitórios que compõem a essência das estrelas.
Somos peregrinos galáticos, estagiando no planeta, a caminho da eternidade.