terça-feira, 31 de janeiro de 2017

A SAUDADE É LEVE

Não sei de onde
 as crianças retiram
 frases espirituosas
e as  recitam convictas
da mensagem  expressa.
Nós, macacos velhos,
desconfiados  da   verbosidade,
às vezes, exageramos um  tanto
e enveredamos  um pouco,
para a falta de sensibilidade.
Pois, outro dia, um infante
ao ouvir meu lamento
sobre a dor da lembrança,
disse-me  de pronto:
tio. um dia  a dor passa
e além do mais,
a saudade é leve.


domingo, 29 de janeiro de 2017

QUANDO NADA É TUDO

Quando a gente vivia na caverna
não sabia das horas
nem dos dias
dos meses
dos anos
Quando a gente vivia na caverna
também não tinha nome
não tinha  medo
não tinha fome
Quando a gente vivia na caverna
não tinha nada.
Não necessitava
de nada.
Tinha tudo.


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

AVENCA

          RESPOSTAGEM

Publiquei este post, aqui,  lá no início do blog e nem lembrava,
porém, ontem à tardinha ao deparar-me com um lindo pé de avenca
no quintal de um vizinho e sentir  vontade de escrever um poema,
lembrei-me de que já havia escrito um sobre o tema. Então, vasculhei o blog e
percebi que havia publicado o poema Avenca, no dia 29 de maio de 2012.
Mas, agora, achei longo e pesado. Dai, fiz uns cortes e o republico, mas numa versão mais leve.


Procurei durante muito tempo
por aquele pé de avenca que havia
no jardim da minha avó,
mas pelos lugares por onde andei
não vi o mimo da minha infância.

Nas minhas várias andanças
através da veredas da vida
vi coisas que não esperava encontrar,
mas o pé de avenca dos meus sonhos
não sei onde foi parar.

Ano passado, construí um jardim
no espaço, atrás da minha casa
esperançoso, preparei o solo
e plantei uma semente no meu coração
mas a plantinha que nasceu não possui
o perfume da avenca da minha saudade.


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

TEMPO DE LER

Aparentemente é uma tarde parada
de ruas vazias e praças desertas
de  uma cidade em letargia
Tempo de veraneio;
empregado de férias,
patrão de férias,
estudante de férias,
pobre de férias,
rico de férias,
futebol de férias,
governo de férias,
(governo está sempre de férias)
Quem nunca sai de férias:
 cachorros,
 conchavos,
 maracutaias,
  entorpecentes,
 jogo do bicho,
 acidente de transito,
 crime organizado, etc,
etc, etc...
Eis um bom tempo para ler,
porque sempre é tempo de ler!






quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

IDADES

Quando minhas pernas cansaram
fui socorrido pela bengala
Se ainda fosse jovem
diriam que sou um dândi
mas como a juventude se foi
dizem que sou mesmo um velho.
Quando os olhos perderam o alcance
submeti-me ao poder das lentes,
porém quando defendo meu ponto de vista,
falam: há controvérsia, por causa da miopia.
Quando meus cabelos cansaram de mim
e começaram a voar em todas as direções,
pensei, peruca é algo que não cola, é retrocesso,
mas, de repente, o chapéu pode salvar a pátria.
entretanto, pensando melhor, isso é bobagem,
porque quase todo mundo nasce sem pelos.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

UM BRASILEIRO PARA SER LEMBRADO SEMPRE

Neste tempo de vacas magras
e de propinas gordas
quando falta vergonha
e sobra cara de pau
é bom  relembrar
cidadão ilustres
e patriotas
que passaram
por aqui.
Homens,
na acepção
da palavra,
preocupados
com o bem comum
e com a nação Brasil.
Estou  reverenciando
Darcy Ribeiro
o último estandarte
da educação, num país
onde este tema
não está no  primeiro plano.
Pena que Darcy Ribeiro
não tem  sucessor!
Pior para o Brasil!

Não sou  muito dado a frases feitas, entretanto à guisa de homenagem ,
transcrevo aqui  um pensamento do Darcy, que eu admiro:

"Fracassei em tudo o que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças
brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer
uma universidade séria e fracassei. Tentei fazer o Brasil desenvolver-se
autonomamente e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria
estar no lugar de quem me venceu."


domingo, 15 de janeiro de 2017

A COR DO CÉU

Um comercial de Tv quer saber
qual é a cor do céu.
Um racional metido responde,
é azul!
As crianças veem
outras tonalidades
Elas falam violeta,
dourado, arco-íris,
alegria, esperança,
saudade, lembrança,
natal, primavera...
Os velhinhos dizem
que o céu tem a cor do céu.
E para você, qual é a cor
do seu céu?

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

OS BOIS E OS HOMENS

Sabem,  aqueles  questionários
melosos, do tempo de colégio,
de perguntas sobre gostos,
 preferências  e atitudes,
que a gente respondia
imaginando conhecer
as coisas do mundo...
Pois é...doces recuerdos.
Ontem, lendo as respostas
de uma enquete  recente
dirigida a sábios e  afins,
algumas afrouxaram a mola
do cérebro deste velho
e talvez sacudam vossos pelos:
Este país não deslancha
porque os norte-americanos
continuam nos roubando...
A carroça Brasil não anda
porque causa dos vadios...
Ah, vejam também esta pérola:
o povo precisa fiscalizar o governo...
Com essas, lembrei-me de Leonel Brizola:
Venho e volto ao campo e os bois são os mesmos,
não mudam de caráter. Já os homens...

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

DEVERIA SER DIFERENTE

Li de um ex-articulista
de um  veículo antigo
da impressa nacional:
o máximo que almejo
de um político patropi,
que ele tenha medo
de roubar....
que tenha medo
de deixar que roubem.
Convenhamos, é o fim da linha!
Pior que almejamos a mesma coisa.
Almejamos que haja uma reforma
que reduza o número de parlamentares,
que haja redução no número de assessores
para que menos gente roubem...
É pau, é pedra, é o fim do caminho;
diria o maestro Tom Jobim.
Falei de Tom Jobim, porque é bom
relembrar as pessoas íntegras...
Como é bom!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

SE

Quando perguntaram
a Chico Xavier
porque justo ele,
ícone da humildade,
usava peruca,
esta foi a resposta
do arauto do bem:
a uso para minizar
o efeito da feiura
provocada pela ausência
dos pêlos capilares,
que minha imagem produz,
e eu não tenho o direito
de chocar as pessoas
com a minha fealdade.
Senhores, se os distintos
congressistas de Brasília,
se autoanalisassem
e se mirassem no exemplo
do filho de Pedro Leopoldo
quem sabe se não paravam,
um pouquinho, pelo menos,
de enfear a nossa História.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

MAIA OU REALIDADE

Dizem os "sábios"
que o mundo é maia
ou falsa realidade,
entretanto aprendemos
 a vê-lo o mundo assim
e quem vive no engano
ao se deparar com a verdade
pode perder a noção de onde está.
Entretanto, tudo pode ser realidade,
para qual ainda não temos visão
porque nosso olhar apressado
não consegue perceber
o mecanismo que rege
o princípio das coisas.



segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

LEITURA, TUDO DE BOM

Sou de um tempo
em que a leitura
era fundamental.
Na minha casa
era um ato sagrado.
Quando meu pai lia
e alguém abria a boca,
minha boa mãe falava:
olha, o pai está lendo!
Quando eu tinha
uns quatro ou cinco anos,
sentava-me em frente ao pai
e ficava  lendo as  nuances
que a leitura produzia em seu rosto.
Quando ele fechava o livro
 traduzia ao nível da minha compreensão
aquilo que acabara de ler
e eu maravilhado dizia:
 quero ler, quero, quero ler...