A minha Lista de blogues

terça-feira, 19 de junho de 2018

AÇÃO E INAÇÃO

Quando eu contornava
o fim do parque,
onde começava a floresta,
praticando meu cooper,
via um homem parado,
olhando na minha direção.

O sujeito me impressionava,
porque naquela época,
eu era um jovem inquieto,
andando de um lugar a outro,
abduzido pelo movimento.

Quando eu passava por ali,
via o homem inerte, feito estátua.
De início aquilo não me incomodava,
mas depois de algum tempo,
veio-me um estado de angústia.

Curioso, um dia abordei o homem
e perguntei-lhe o que ele pensava
sobre o meu  exercício
Daí, ele perguntou que atividade eu praticava
- então perguntei: não me vês passando por aqui,
sempre aos finais de tarde?
- Ora, nunca havia percebido, pois cuido do meu mister.
- Mas o que tu fazes aí parado, sem ver as coisas à tua volta?
-  Bem, depois do trabalho, eu exercito, por algum tempo, a arte de ouvir o silêncio

terça-feira, 12 de junho de 2018

TUDO PASSA

Lá no começo da estrada,
eu aprendi algumas coisas,
que agora não servem  mais
como datilografia, por exemplo,
em máquinas  mecânicas e elétricas;
também informática através de cartões perfurados.
Sem falar na arte de operar antigos  mimiógrafos
Ainda me ensinaram boa conduta, respeito, ética;
essas coisas que foram jogadas  na lata do lixo.
Nada no mundo líquido já  me impressiona muito,
à medida que sei  que  a novidade badalada de hoje
será a sucata ridicularizada de amanhã.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

DESABAFO -

Antes da guerra civil
se instalar por aqui
a vida era calma.
Acho que era ano 71 ou 72,
eu saia todo fim de mês
do antigo Banco Nacional,
aquele do guarda-chuva
(lembram?),
agência da Rua Uruguai
com as cédulas na mão,
sem correr riscos,
porque não havia ladrões
à espreita dos nossos trocados.
Porém, pouco a pouco,
os olhos da gateada
foram preteando.
E nos dias atuais
a situação está insustentável.


quarta-feira, 30 de maio de 2018

PENSE POR CINCO MINUTOS

Tempo de perturbação no cotidiano
em face de desentendimento das coordenadas
componentes do trato  social
leva a criatura a refletir
sobre  certos prismas
poucos percebidos
e menos perorados
pelos analistas
de plantão.
Digo,
muito se fala
no  fato bruto
e quase nada é dito
sobre o caldo de cultura
originário dos miasmas atuais,
e também das possibilidades perdidas
por incompetência, ignorância ou  interesse.
Por que num  país de dimensões continentais
foi-se paulatinamente liquidando
a velha e boa malha ferroviária?
Será que os europeus são menos inteligentes
que  a gente, porque transportam
quase tudo via trem de carga?
Porque,  aqui, montamos esse monstrengo
o super-estado, proprietário
de empresa petrolífera,
quando até os comunistas
sabem que o estado
é um mau gestor?
Perda de tempo dizer
que o problema eclodido hoje
foi gerado na semana passada
ou, então, dizer que a mídia
é a causa de todos os males,
porque a má administração
da coisa pública vem
de muito longe;
desde o tempo
dos generais
no poder
e piora
a cada
governo
que
passa.



terça-feira, 22 de maio de 2018

ESSAS CRIATURAS

Parece que forças sobrenaturais
estão atuando no patropi
Quem sabe entes invisíveis,
de índole perversa,
estão a mexer no dinheiro público,
enquanto a gente fica a acusar
parlamentares e símiles,
destarte as denúncias são negadas
com veemência pelos políticos;
são todos muito honestos,
mais honestos que
a honestidade,
verdadeiras vestais.
Pode ser que entidades poderosas e terríveis
 estejam a pôr nossos representantes
em estado alterado de consciência
ao ponto de que as criaturas
atingidas pelos miasmas
acabam metendo
os pés pelas mãos,
de tal modo
que atitudes
condenáveis
introjetam-se, agora,
em suas mentes corrompidas,
com o status da prática
"do bom e do belo"

domingo, 20 de maio de 2018

NÃO DUVIDE -


Política e  religião
possuem mais
similaridade
do que se
depreende
sob o crivo
de uma
análise
apressada.
Ainda que os representes
dessas entidades
neguem com veemência,
o princípio que os movem:
 a busca do  poder.
Esses arquétipos
são grandes negócios
por onde transitam
somas vultuosas
Ai de quem se insurge
contra essas  instituições
e não segue o rebanho.
Se você é um livre pensador
há de ser queimado no inferno
criado pelo cléricos
e caso seja indiferente ao sistema
manipulante-operativo
do tabuleiro político
será tachado,
eternamente,
de alienado.







quinta-feira, 17 de maio de 2018

O TEMPO

A velocidade da carruagem
está condicionada
ao posto de observação
da criatura
Por isso, conceitos
 como cedo e tarde
são mensurações
situacionais.
Quem pertence a minha geração
há de lembrar que esperou
uns cinquentas anos
para chegar aos vinte,
entretanto,  para irmos
aos quarenta, foi rápido.
Àquela altura, mais um quinquênio,
estávamos na terceira idade
com mais de sessenta anos.