quarta-feira, 22 de setembro de 2010

SONHOS

Muitos poetas famosos já foram contemplados
com sonhos maravilhosos.

Lembro do inglês, Samuel Coligdere, que sonhou
um sonho dentro de outro sonho,
então, numa noite, tocou uma flor no paraíso
e ao acordar a flor estava no leito do poeta.

E, Roberto Carlos, que sonhou
com o quintal do vizinho florido,
e ao sair à porta, depois de acordar
o vizinho estava de mão estendida
lhe oferecendo uma flor.

Entre tantos, ainda tem Raul Seixas
sonhando com a terra parada por um dia.
Imagine um dia inteiro, o mundo isento de maldade.
Que maravilha!

Pois é, mas as pessoas comuns também sonham,
ainda que sonhos não tão edificantes quanto.
Inclusive eu guardo comigo
um sonho adormecido há muito tempo:
Eu sonhei que era um personagem
do dramaturgo Plinio Marcos,
em fuga para a Noruega.

3 comentários:

  1. Muito, muito interessante , amigo Dilmar!
    Gosto muito do assunto!
    Se eu fosse contar-lhe as experiências com sonhos que tenho tido, certamente você duvidaria...rsrs...
    Um dia lhe conto...
    Grande abraço, poeta!!!

    ResponderEliminar
  2. Amiga, não sei vc crê no espiritismo, eu também não gosto muito de falar em religião, pois esse assunto, às vezes, fere a sucetibilidade das pessoas, mas com vc sei que posso falar, haja visto, eu estar falando com uma pessoa fantástica, criativa, inteligente, hiper sensível; mas enfim, como eu dizer, na doutrina kardecista, nós cremos que durante os nossos sonhos, o espírito viaja tanto no mundo encarnado como no mundo desencarnado, no presente, no passado, e, às vezes, no futuro. Eu viajo muito durante o sono, e gosto de escrever sobre os mesmo; é claro que por ser algo muito pessoal, quase sempre os adpto à realidade.
    Amiga, agradeço enormente às suas constantes visitas ao meu bloginho.
    Um abraço do tamanho do mundo!

    ResponderEliminar
  3. Sabe Dilmar acho que Plínio Marcos foi um inovador do teatro colocando para o público a vivência das ruas como Navalha na Carne e Dois Perdidos Numa Noite Suja...Viveu numa época que ainda se vivia sob o clima de uma Ditadura...,com os meios de comunicação dominados pela elite que nem reconhecia o valor dos nordestinos como Luiz Gonzaga...Época dos "bregas " e falsos "Chiques".
    Parabéns poeta v. pode ousar além dos sonhos!

    ResponderEliminar