segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

POR FAVOR, OS COMERCIAIS

Hoje estou lembrando dos antigos comerciais
que a gente assistia na tv valvulada.
Tinha um que eu nunca esqueci:
"A liberdade é uma calça azul e desbotada"
- Paradoxal conceito de liberdade -
Talvez por ser dito numa época de repressão,
aquilo soava como música aos nossos ouvidos.
Antes do comercial da calça desbotada
 passava outro na tv em preto e branco,
que eu também achava interessante:
"Vestindo a calça de nicron da marca Camelo,
você se senta e levanta, se levanta e se senta
e ela continua impecável, não amassa nem amarrota"
Mais tarde surgiram aqueles comerciais perniciosos,
mas muito bem elaborados,
que propagandeavam marcas de cigarros.
Eles procuravam vender a ideia de que veneno
era o elixir da felicidade.
Ainda bem que os comerciais de cigarros foram proibidos!
Em meios às minhas lembranças, ligo a tv de plasma
e qual o comercial que aparece?
Um comercial recheado de atores, atrizes, cantores
envolvidos em uma orgia de bebida alcoólica!

39 comentários:

  1. Dilmar, realmente os comerciais antigos não tinha a malícia dos atuais, empurrando os menos avisados para o abismo dos vícios. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Denise. Um abraço. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  2. Sabe Dilmar,
    lembro bem desses comerciais, tenho 50 anos e lembro que em
    pequena esses comerciais erma extremamente atrativos.
    Mas quando eu aos 16/17 anos ja poderia ser influênciada
    tudo que fiz como fumar por exemplo não me veio
    das propagandas...
    As vezes fico pensando no que mudou alem da tv que ja
    não é mais de valvula:
    nós mudamos ou o mundo mudou?
    Bela postagem como sempre.
    Bjins e bela segunda de carraval pra voce.
    Catiaho Reflexo d'Alma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é querida, eu já sou um pouco mais velho, tenho 60 anos e realmente tenha uma saudade enorme dos comerciais antigos e de alguns programas antigos.
      Um abraço. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  3. Ah sim, sou la do Espelhando tambem, viu?http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Pelos versos apaixonado
    não sou poeta nem jardineiro
    meu nome é Eduardo
    da poesia aventureiro.

    Liberdade desbotada
    calças à boca de sino
    beleza bem guardada
    segredos do destino!

    Obrigado, amigo Dilmar Gomes
    pela sua visita, bom Carnaval
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. Maravilhosa lembrança a sua, amigo!
    bjs e feliz descanso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Martha. Um abraço. Tenhas um bom dia.

      Eliminar

  6. Tudo vale no absurdo dos tempos que vivemos. Deseducar compensa à luz cega dos interesses consumistas.

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Lídia. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  7. puxa....senti saudade dos reclames!

    ... do Flávio Cavalcante com seus dedos:
    nossos comerciais por favor!



    ...e do cigarro Luiz xv, então??

    era lindo!


    abç Poeta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é amiga Margoh, que saudades do Flavio e de outros que partiram.
      Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  8. As coisas belas e agradáveis ficaram no bauzinho da memória. Hoje temos em nossa retina um desfile publicitário de enorme mau gosto. As lembranças ficaram lindamente retratadas neste versos. Um abraço e um ótimo restinho de feriado meu amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho, amiga Gracita. Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  9. Senta, levanta e tira o palitó.
    Camelo é a marca que Silvio Santos usa até hoje.
    rsrsrsr
    beijos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um abração, amiga Janice. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  10. Dilmar, tenho saudade da TV de válvula (gostei da definição rsrs). Tenho saudade da imagem em preto e branco, também do senta e levanta, tira o paletó, põe o paletó... hehehe... E tantos outros que embalaram nossa infância... Hoje? Dá raiva ligar a TV.

    Anos dourados, apesar da sépia envolvendo-os.
    Super blogada!

    abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Lu, a tv mudou muito, e mudou para pior.
      Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  11. Oi, estimado Dilmar!

    Começo por lhe agradecer sua visita a um dos meus blogues e seu gentil comentário.

    Os anúncios, os comerciais mais antigos, acho até, que tinham graça e uma boa dose de ingenuidade.
    Atualmente, em Portugal, se usa e abusa de pessoas, figuras públicas (elas são solicitadas e ganham milhões, pra fazer esses comerciais) e de uma certa loucura que as envolve, e que, sinceramente me desmotiva e me faz ter pena delas.

    Bom feriado.
    Um beijo da Luz, com carinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, amiga Luz. Abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  12. Toda razão, Dilmar: os comerciais antigos eram mais bonitos, mais suaves e ingênuos.
    A Lu tem razão: é difícil ligar a tv hoje, a não ser em casos especiais.
    Abraço e obrigada pelo comentário no Mínimo.

    ResponderEliminar
  13. Dil,
    A indústria domina esse país, daí somos obrigados a conviver com suas incongruências!Que paradoxo imbecilizado não? Gr. Bj.!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho, Cris. Um abração. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  14. Pois é meu amigo os comerciais hoje são feitos por técnicos
    que estudam muito bem, "como convencer as pessoas". Entre o
    tabaco e o álcool vá o diabo e escolha, não é?
    Fumar nunca fumei, beber bebo à refeição e excepcionalmente
    numa data festiva um pouco de moscatel, ou champanhe.
    Beijinhos
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Irene, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  15. Agora amigo Dilmar falando de comercial lembrei-me quando ainda adolescente trabalhei em uma radio do Uruguay, eu sou da fronteira Jaguarão, um comercial eu nunca mais vou esquecer, aparecia a voz de uma criança dizendo, (mama porque no tiengo un hermanzito como los otros niños) e ai aparecia a voz da mãe dizendo assim (porque tu padre usa condon) Dilmar condon em español é camisinha. abcs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Legal tua experiência, amigo Orides. Um abração. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  16. Voltei no te´po. Tempo bom aquele. Que saudade... Abraços amigo Dilmar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Velhos tempos, belos dias, amiga Regina. Um abração. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  17. BUENA REFLEXIÓN AMIGO DILMAR,ME AGOBIA ESA PUBLICIDAD Y NUNCA LA VEO, LA VERDAD ES QUE LA TELE HOY EN DÍA ES MALISIMA.BUENO AMIGO.FELIZ DIA.REGALA Y QUE TE REGALEN MUCHAS SONRISAS Y CARIÑOS.BIKIÑOS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Esther. Um abração. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  18. A corrida desenfreada, a desumanidade e a falta de alimento espíritual, permite que tudo seja possivel, lamentavelmente.

    Magnifico texto.
    um abraço Dilmar.

    cecilia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigadíssimo amiga Cecília. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  19. Poesia-denúncia!!
    Amei!!!
    Se nossa poesia
    for sempre mais denúncia
    estará cumprindo sempre mais o seu papel

    ResponderEliminar
  20. Muito boa e verdadeira a reflexão!!!!

    E será sempre assim...infelizmente!

    Beijo grande amigo Dilmar!!!

    ResponderEliminar
  21. Pois agora, você tem um bom motivo para cultivar um jardim, Dilmar. Será ótimo pra você e para os passarinhos. Beijo!

    ResponderEliminar
  22. Lembro muito bem dos comerciais de cigarro, era criança, mas lembro.
    Propagandas absurdamente caras!
    Por causa do cigarro a minha mãe teve câncer e foi pro céu!
    Ela dizia que na época dela era chique fumar, que não falavam dos malefícios que essa droga lícita fazia, assim ela começo e não conseguiu parar, infelizmente.
    Teve câncer em 92, ano que o meu pai faleceu e em 2010, que foi no pulmão e não teve jeito.
    Creio que o cigarro não liberta ninguém dos seus problemas, é uma fasa compensação.
    Quanto às bebidas alcólicas, fazem mal demais, matam, causam acidentes no trânsito e destroem famílias.
    Esses comerciais pagam é muito bem aos artistas, que não seguem pelos valores morais e sim pelo dinheiro, infelizmente.
    Parabéns por valorosa indignação e alerta.
    Quem disse que não se pode brincar de "cara limpa?" Quem?
    Paz!

    ResponderEliminar