terça-feira, 3 de setembro de 2013

MARTINS O LIVREIRO

Há algum tempo
que eu não caminhava
pela Riachuelo,
rua das minhas lembranças.

Riachuelo antiga,
tradiocional point
dos velhos sebos,
arquétipos sagrados
dos amantes da leitura.

Ontem à tarde,
enquanto eu andava
pela calçada direita,
no sentido da Biblioteca Pública,
meu espírito retrocedeu ao tempo
dos meus quinze anos,
e eu me vi folheando novamente
as páginas amareladas
de Victor Hugo, Balzac,
Eça de Queiróz, Machado de Assis...
Em estado sonambúlico,
entrei na Martins o Livreiro,
mas não encontrei Machado
nem Eça nem Balzac...
Em meio a um que outro
clássico do meu tempo,
vi muito alfarrabio de auto ajuda,
bíblias de informática,
compêndios de jardinagem...
Também não avistei o velho Martins.
Talvez haja morrido...
Aliás, a casa agora pertence
a outro mecenas...


18 comentários:

  1. Bom dia

    Sabe tão bem recordar não é verdade?


    Deixo abraço
    ******************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Ricardo, acho que às vezes me detenho demais no passado, entretanto, não consigo me furtar de rememorar aquela magia que se perdeu com o tempo.
    Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  3. Gostaríamos que os lugares permanecessem como eram nas épocas em que fomos mais felizes, mas as coisas mudam... feliz/infelizmente?... O tempo dirá... lindo post!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
    2. Ana, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  4. Os valores mudaram. Já não encontramos pessoas lendo os clássicos, aliás, se é que leem! Gosto questionável da modernidade. Enfim, dizem que há espaço para tudo! Muita paz!

    ResponderEliminar
  5. Os valores mudaram. Já não encontramos pessoas lendo os clássicos, aliás, se é que leem! Gosto questionável da modernidade. Enfim, dizem que há espaço para tudo! Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  6. Oi amigo Dilmar!
    Que lindo e saudoso poema! Muito verdadeiro!
    Mas as boas lembranças não se vão com o tempo.
    Um beijo no teu coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho, amiga Ilca. Um abraço. Paz no teu coração.

      Eliminar
  7. OI DILMAR!
    ACHO QUE POUCOS PORTO-ALEGRENSES NÃO CONHECEM A "MARTINS LIVREIRO"
    PRINCIPALMENTE OS AMANTES DA LEITURA E DE BONS LIVROS, MAS, ACHO QUE TUA FRUSTRAÇÃO MAIOR, É COM RELAÇÃO A POUCA QUALIDADE DOS LIVROS LÁ EXISTENTES HOJE EM DIA, JÁ QUE NO PASSADO ENCONTRÁVAMOS NESTE LUGAR CLÁSSICOS DA LITERATURA NACIONAL E MUNDIAL E OS PREÇOS TAMBÉM ERAM CONVIDATIVOS.
    MUITO BOM E SAUDOSO TEU POEMA.
    ABRÇS
    http://zilaaniceli.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Zilani, realmente, a qualidade dos livros que nos oferecem atualmente caiu bastante, mas os preços estão estão em alta.
      Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  8. Dilmaramigo

    Todas as livrarias são para mim locais de encanto e de encontro. Mesmo sem conhecer ao vivo a MARTINS LIVREIRO o que me dizes dela, além de ser poema belíssimo, faz-me entrar e começar a experimentar prosa que é o meu forte... Ainda que antes fosse melhor; é a vida.

    Mas também me detenho na poesia, sobretudo quando ela é como a tua: elucidativa, descritiva, sentimental. Aguçaste-me o apetite: amanhã vou a uma livraria, pequena mas acolhedora, onde posso ler sossegado. Obrigado pela lembrança.

    Já te sigo e vou inserir-te nos meus BLOGUES MAIS FIXES.

    Abç

    Henrique

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Ferreira, obrigado pelas palavras carinhosas. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  9. Estimado, Dilmar Gomes.

    Nada melhor do que as boas lembranças. É o que alegra a nossa Alma, nesse vai e volta de contentamentos. Os meus desejos de um bom feriado, em comemoração, ao Dia da Independência.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo José, obrigado pela visita. Um abraço. Também te desejo um bom feriado.

      Eliminar
  10. Dizem que ter saudades é voltar ao passado, ser passadista confundindo-se com o retrocesso.
    Pois bem, adorei esta viagem no tempo Dilmar!
    sabe tão bem recordar
    Abraço
    Obrigada pela sua visita

    ResponderEliminar
  11. Aqui no Rio de Janeiro, nos Arcos da Lapa, tem uma rua chamada Riachuelo. Na minha infância, tinha muitos sebos, hoje tem poucos. No meu tempo de muleque, eu amava entrar naquele lugar e ver tantos livros, tantas historias, era como entrar num tunel do tempo. Tenho 32 anos, mas parece que nasci em nas décadas de 60 e 70. Tudo dessa época, me agrada, me fascina, me prende.

    Abraços amigo !

    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar