A minha Lista de blogues

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A VELHA FEIRA DO LIVRO

Ontem à tarde
quando visitava
a nossa Feira do Livro
de Porto Alegre,
senti saudade
da Antiga Feira
dos anos sessenta,
época das barracas
- hoje são stands -,
umas vinte e poucas,
talvez trinta,
se a memória
não me falha.
Agora são quase duzentas...
Naqueles dias,
a cidade
era bem menor.
 Ainda havia
aquele ar de província
e menos pessoas
desfilando
por entre os livros.
A gente podia
se demorar
o tempo que quisesse
a folhear as obras expostas...
De repente surgia
Mario Quintana,
Erico Verissimo,
Dionélio Machado
ou qualquer outro
autor local
menos renomado
e a gente nem respirava
observando aqueles seres
vindos de outro mundo,
mas para nossa surpresa
eles também folheavam
os escritos de seus confrades...
Aquilo era uma festa
na velha Praça da Alfândega


39 comentários:

  1. Meu amado, hoje venho aqui para pedir mil deculpas pela poesia que postei na madrugada de ontem. Com muitos erros de portugues e lógico sem muito sentido. Venho a comunicar que já existe os acertos minha querida.Se possível voltar lá com meus muitos perdões.

    Ler bons livros realmente nos deixa um pouco sem fôlego mesmo...Bom te ler querido.

    Cristal..Um ótimo fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cristal, obrigado pela visita.Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  2. Hoje com quase duzentas, mostra a produção em grande escala. Acho importante.
    Mesmo que alguns sejam de qualidade inferior, a leitura é muito importante.
    Hoje no lugar de uma simples festa tornou-se um evento.
    Beijos!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janice, obrigado pela visita. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas um dia maravilhoso.

      Eliminar
  3. Belas lembranças, querido Dilmar. Beijo e boa tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Shirley, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  4. Olá, bom dia, tudo bem.

    Quero te desejar um fim de semana, bom.
    Bem bom.
    O tempo é de luzir. Então cada um de nós que busquemos o nosso Sol.
    Ele paira, e nos convida ao aquecimento do cotidiano. Não por que queremos, mas por que o tempo, exige em exposição, que cada um de nós, busquemos o nosso lugar. Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amigo José. Um abração. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  5. Boa tarde de sábado!!!!

    Agradeço sua visita tão carinhosa
    e desejo sempre o melhor pra vc
    tenha um final de semana cheio de alegria com esse post divino, que
    sempre enche nossos olhos de muita
    alegria bjussss

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um grande dia.

      Eliminar
  6. Também tenho saudade de momentos/lugares como este,
    na memória do meu passado.
    Mas que bom ter memória.
    Temos história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lola, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  7. Querido Dilmar!
    É sempre bom relembrar um passado prazeroso e inesquecível, que deixou saudades. Isso também acontece comigo, e sinto uma certa nostalgia ao recordar esses momentos.
    Lindo o que escreveste! Parabéns!
    Um abraço com meu carinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ilca, querida amiga. Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um dia iluminado.

      Eliminar
  8. Ah, que lindas épocas!
    Feiras de livro eram eventos mais simples, onde mais importante eram... os livros...
    Bom domingo pra você.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um grande dia.

      Eliminar


  9. Os tempos primitivos são líricos,
    os tempos antigos são épicos
    e os tempos modernos são dramáticos.

    Victor Hugo

    beij0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário poético. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  10. Querido amigo, primeiramente obrigada pela gentileza dos comentários, é um grande prazer recebê-lo lá no blog. E suas postagens sempre me transportam para a questão que desenvolves. Também sinto saudades da mistura com os grandes nomes da nossa literatura em carne e osso nas feiras de livros antigas, de também sentir o cheiro da cultura impregnando o olfato das pessoas, o livro sempre aviva a realidade e é um patrimônio adquirido com muitas realidades que ficam na nossa vida para escrever bonito como tu bem o fazes. parabéns! Que a chuvarada lave nossas almas, hehe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é amiga Eva, a chuvarada lavou nossas almas. Obrigado pelo carinho.
      Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  11. As feiras já foram locais mágicos. Não perderam essa característica, mas hoje é difícil ter a mesma tranquilidade ao visitá-las. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, amiga Marilene. Um abração. Tenhas um dia maravilhoso.

      Eliminar
  12. ¡Hola Dilmar!!!

    Tanto tiempo sin pasar por tu casa virtual, me quedabas allá a tras en mi blog, me acordé de ti, y dije, le hago una vita a este buen hombre. Me siento contenta de haber llegado y leerte.
    ¡Donde veo que has estado en un feria de libros, han bajado algo sus ventas! Pero yo siempre tendré, mientras viva un libro entre mes manos.

    Gracias por compartir. Te dejo un beso y mi estima.
    Se muy muy feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado querida Mariana. Visitas são sempre bem-vindas. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas um dia maravilhoso.

      Eliminar
  13. Amigo livro é tudo de bom, um dia super feliz ,
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Lúcia. obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  14. "...e a gente nem respirava
    observando aqueles seres
    vindos de outro mundo,"

    Curioso! Também era assim que eu via os poetas e os escritores, nos meus "verdes anos": seres superiores, inatingíveis. E afinal, gente como nós".

    Bom é saber que os livros foram e são "uma festa"

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lídia, obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um dia maravilhoso.

      Eliminar
  15. Oi,Dilmar.Creio que antes td era mais verdadeiro,mais emotivo, hj é td rápido,às vzs até fácil demais o q atrapalha a conquistarmos algo q seja duradouro.
    Eu não fui à Feira do Livro, infelizmente. Obrigada pelo carinho de sempre.Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cléo, obrigado pela visita. Tenhas um dia maravilhoso.

      Eliminar
  16. Amigo em Lisboa também passou a ser como refere, parece mais um negócio
    como outro qualquer e eu também gostava que fosse diferente.Mas hoje em dia
    o capital é que conta.
    Desejo que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Irene, obrigado pela visita. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

      Eliminar
  17. O passado deixa sempre uma onda de nostalgia...

    Bons sonhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São, obrigado pela visita. Volte sempre que quiser. Este espaço pertence aos amigos.
      Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  18. Ola caro amigo,geralmente me integro nos teus textos poéticos. Com este de hoje,literalmente voltei ao passado,e que saudades senti.........Meu abraço.SU

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Suzane, obrigado pela visita.
      Um abraço. Tenhas um lindo feriadão

      Eliminar
  19. Deveria ser estimulante mesmo encontrar autores assim, hoje com certeza tem muitos que escrevem maravilhas também, só que as coisas mudam como bem disse...e assim caminha a humanidade rs
    Feliz dia Dilmar, sempre bom te ler!

    ResponderEliminar
  20. Amiga Isa, assim caminhamos nós. Um abração. Tenhas um lindo feriadão.

    ResponderEliminar
  21. Apesar de muita gente, dos descontos não serem mais os mesmos, da ausência de Mário Quintana, do grande cansaço que toma conta de nós... ainda vale a pena! A festa continua em 2 ou 3 idas!
    Grande abraço.

    ResponderEliminar