sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SR. JOÃO SILVEIRA

A história deste poema
é um evento real, positivo,
em verso e prosa
ocorrido ontem, aqui em Porto Alegre
e registrado na mídia escrita e televisiva.

O Sr. João Silveira
- nome verdadeiro do autor -
foi preso em um posto do INSS
quando reivindicava
determinado valor que lhe fora
descontado indevidamente.

Já alguns meses,
o Sr. João incomodava
os trabalhadores daquela repartição
exigindo ressarcimento do seu direito,
porém, ontem ele passou das medidas
segundo os componentes daquele órgão,
 pois disse que não iria embora
sem uma solução para o caso,
mas os funcionários daquele departamento,
irritados, pediram ajuda à lei,
então  veio a Polícia Federal
e conduziu o Sr. João Silveira para o xilindró.

26 comentários:

  1. Dilmar, infelismente é isso que acontece, o descaso .. a pessoa que se sente ilezada (será que escrevi certo, favor corrija-me, de vez em quando dá um branco nas palavras?)acaba perdendo a paciência e a compostura, coisa errada claro, sem sabedoria, mas age de acordo como são tratados pelas autoridades competentes... coitado, senti dó do senhor João Silveira..
    os órgãos públicos deveriam se preparar para dar atendimentos a essas pessoas...
    aqui no Japão o aposentado, de idade, é recebido com um visitante em sua residência, todo mês para esclarecer todas as dúvidas, seus pagamentos são débitos em conta nas agências do correio, onde cada funcionário é instruido para as devidas informações e caso haja dúvida, recebe a visita de um integrante do serviço reclamado e solicitado... atenção as pessoas é coisa séria e tudo fica esclarecido...

    Abraços e tenha um lindo dia
    Giovanna

    ResponderEliminar
  2. Pois é, amiga. A gente no Brasil assiste pela tv ou lê nos jornais e fica impressionado com a postura daS pessoas no Japão, quando na verdade não seria para impressionar, isto se houvesse mais seriedade aqui. Ficamos impressionados quando ouvimos dizer que uma autoridade japonesa deu um tiro na cabeça porque foi flagrado em ato corruptivo, enquanto aqui no Brasil, os corruptos debocham das pessoas honestas. Aqui, tem também o descaso dos políticos e governantas com a educação a segurança e a saúde. Nossa educação é muita fraca; segurança não existe, o país está praticamente numa guerra civil e o bandidos crescem dia-a-dia e saúde, então é caótica, as pessoas morrem nas filas de espera por falta de atendimento.
    Um grande abraço. Aqui em Porto Alegre agora são 17 horas e 48 minutos e temperatura de 29 graus, mas no ínicio da tarde estava a mais de trinta graus (quente para mês de outubro)
    Tenhas um ótimo dia.

    ResponderEliminar
  3. É mais fácil usar o descaso que resolver algo, de verdade.

    Beijo Dilmar

    ResponderEliminar
  4. Costumam errar na identificação da vítima. Brigar por um direito, ainda que suposto, exige respeito.
    Aliás, o povo está se esquecendo do significado dessa palavra.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Lá como cá, é igual..


    O cidadão já não pode
    ter aquilo que lhe pertence
    barafusta e com razão
    mas há quem assim não pense.

    O homem só queria
    que pagassem o que era dele
    e se eles não queriam
    chamaram a bófia para enxotar.

    Quem clamava e com razão
    porque da boca lhe tiraram o pão
    e se ele não toma medidas
    o Governo, também não.

    Mas isso é corriqueiro
    na terra de onde viemos
    só clama pela justiça
    quem sabe que é ordeiro.

    Se fosse um qualquer politico
    decerto não chamavam a bófia
    davam-lhe o que pediu
    a ele mais a algum sósia.

    Assim, vamos andando
    sem ouvir a voz da razão
    porque a lei é enganosa
    e nem nos ouve
    e tira-nos da boca o pão!

    Saiu assim amigo Dilmar..aqui é igual injustiças é o que mais sobra.

    Um abraço

    laura

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente essa é uma realidade que é observada não só no Brasil. Nós por aqui também temos muito disso!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Seu João Silveira teve o que mereceu
    Passando rapidinho pra agradecer seu carinho, beijos pra ti!

    ResponderEliminar
  8. srsrrsr

    Coitado do Joao Silveira. A corda sempre quebra no lado mais fraco!!

    Bacana seu poema. Aconteceu duas vezes com meu pai.

    Emprestimo indevido ja descontado na conta de aposentado.

    Nao respeitam ninguem mesmo neste pais sem leis.

    bj

    ResponderEliminar
  9. Olá Dilmar,
    Aqui no Brasil, tudo é possível acontecer. Hoje, ainda, conversava com uma senhora na condução, a qual me relatava que tem 5 filhos, cada um morando fora do Brasil. Um deles, uma filha que há pouco tempo teve um bebê, mora na Austrália. Esta senhora com a qual eu conversava, dizia-me que em agosto passado, fora à austrália visitar sua filha. Contou-me ela que lá, tudo é certinho, organizado e limpo, bem ao contrário de nossa pátria. Apesar dos filhos a convidarem para morar no exterior, ela não consegue deixar o Brasil, pois diz sentir-se como um peixe fora d'água quando daqui sai.
    Fico pensando comigo mesma: mesmo sendo um país desgovernado (sem governo decente) e havendo tudo o que se sabe que acontece, como o caso que você relatou, ainda assim, gostamos de nosso país. O que você acha disso?
    Um grande beijo, amigo.
    Maria Paraguassu.

    ResponderEliminar
  10. Descaso e falta de respeito, é só o que se vê,meu amigo. Quanto ao seu comentário, sobre o tom triste de meu poema: Dilmar, isto é apenas um estilo e nada mais. Vc veja a obra de poetas incríveis, como Florbela Espanca, Cora Coralina (sem quere me comparar a elas, por favor, longe de mim!) são autores que tb enfocam a melancolia como tema de seus poemas e, nem por isso, são menos expressivas. Minha poesia tem (a mioria delas) este pano de fundo, mas isto não significa que sou triste, melancólica, infeliz ou coisa que o valha.´É apenas um estilo, acredite. E, depois de mais de 5.000 textos já escritos e salvos em meu computador, não os jogarei fora para uma possível mudança de estilo. Mas, não sei se ja lhe disse: eu tb tenho obras de humor, cordéis regionais caipiras e outras tantas. É que aaui, no Blog, dei preferência ao estilo mais melancólico. Visite meu site e verá do que estou falando. Me dê a honra de sua visita, pois lá, os textos são separados por categoria e mais fácil de encontrar os bemhumorados. (http://www.millapereira.prosaeverso.net/)
    Mas gostei da crítica, isso só nos torna melhores do que somos. Grande abraço.

    ResponderEliminar
  11. Como não dá pra colocar o INSS no xilindró sobrou pro seu João, triste realidade a nossa, abraços Dilmar.

    ResponderEliminar
  12. Tudo fora do lugar,vida estranha essa neh amigo?Beijos!

    ResponderEliminar
  13. Cadeia para o povo
    Para os corruptos a arte de se dar bem e porcos serem!
    Coisas de Um Brasil,que pouco a pouco assim como no mundo,as coisas de figura mudam,como por exemplo uma outra forma de capitalismo,os ditadores todos del mondo,sucumbindo a revolta do povo,etcetcetc!
    te abraço,poeta querido ,fraterno e amigo!

    Viva La Vida!

    ResponderEliminar
  14. Amiga Luna, obrigado pela visita.
    Um abração. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar
  15. Amiga Fatima, obrigado pela visita.
    Um grande abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar
  16. Amiga Marilene, obrigado pela visita.
    Um grande abraço. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  17. Amiga Laura, obrigado pela visita e obrigado pelo bom poema corroborando o meu.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  18. Obrigado pela visita, amiga Ana Costa.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  19. Obrigado, amiga Isa Mar.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  20. Obrigado pela visita, amiga Ma Ferreira.
    Um grande abraço. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  21. Amiga Paraguassu, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário consistente.
    Pois é, amiga, apesar de tudo, eu também amo o fato de ser brasileiro, e, se estamos inseridos neste contexto é porque tem de ser assim, pois nada acontece por acaso, tudo tem um motivo, que a nossa compreensão às vezes não alcança, né amiga!
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  22. Amiga Milla, sei que o teu estilo é assim e eu o respeito. Essa característica não diminui em nada o teu trabalho. Acho que falei porque eu também gostaria de escrever num estilo alegre, brincalhão, mas não consigo, o máximo que eu consigo, às vezes, é colocar um pouco de ironia nos textos. Visitarei teu blog, proasaeverso.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  23. Amiga Eva, obrigado pela visita.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  24. Amiga Marcia, obrigado pela visita.
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  25. Meu bom amigo Ricardo Calmon, pois é, eis a nossa realidade!
    Um abração. Tenha uma ótima noite.

    ResponderEliminar