terça-feira, 30 de outubro de 2012

LIVRO

Ontem, algumas amigas blogueiras
refrescaram minha velha memória:
vinte nove de outubro, dia do livro.

Livro, meu velho amigo,
companheiro de longa data,
meu ídolo e meu rei.

Livro, tu és o "José" do Drummond,
teimoso, forte, valente, atemporal.
Já anunciaram tua morte, mas tu não morre!

A surpreendente onda tecnológica do mundo virtual
patrola gradualmente as antigas mídias
mas o livro, certamente, continuará perene em plena era digital.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE

Há pouco eu perambulava
pelas ruas do centro histórico
com a sensação de quem vai
a um encontro marcado
com as coisas do coração.

Conduzido pela cauda de um devaneio,
desço a velha rua da Praia,
atravesso a Esquina Democrática,
 vou na direção da Usina do Gasômetro
e os meus pés andam acima do solo.
À altura da rua da Ladeira
avisto a Praça da Alfândega enfeitada,
então tudo ficou claro:
é a última sexta-feira de outubro
e o evento histórico se repete,
como acontece há muitos anos:
"Abertura da nossa Feira do Livro"
Estou ingressando no templo
do sonho e da magia!


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

TERRÁQUEOS

Nós, terráqueos, pensamos que somos espertos
Nós, terráqueos, contamos estórias
Nós, terráqueos, às vezes, tiramos onda de solidariedade
Nós, terráqueos, em determinados lapsos
na curva espaço/tempo
já pontuamos o pico da irracionalidade
ao assarmos na fogueira inquisitória
aqueles irmãos que não comungavam
o nosso pensamento.

Nós, terráqueos, somos cínicos
Nós, terráqueos, temos medo do desconhecido
Nós, terráqueos, somos engraçados
e ainda levamos a sério aquela estória
contada desde a madrugada dos tempos:
"Nascemos pecadores, sem exceção,
porque o primeiro habitante do planeta
comeu o fruto vermelho da floresta"

domingo, 21 de outubro de 2012

E

O menino que pensava,
que o leite nascia na caixinha,
ficou chocado quando viu
uma vaca leiteira de perto.

As crianças de agora
plugadas no sistema,
ignoram o prazer
dos folguedos ao ar livre.

Diante da mudança de comportamento
alguns malucos estão afirmando
 que transformarão as praças
em estacionamentos de automóveis,
já que as crianças já não as usam
em virtude do mundo virtual.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

DIA ESPECIAL

Tomando-se por parâmetro
os últimos dias
supor-se-ia
que hoje seria
mais uma dia
semelhante aos dias pretéritos,
fatiados e servidos
como aperitivo à espera
dos grandes dias,
mas desde as primeiras horas
do dia de hoje
sopra no ar os augúrios
de um dia especial.

Eis um dia onírico,
de aspecto real
em que a brisa do sul
acaricia o corpo e o espírito.
As horas passam
e os olhos agradecidos
contemplam a moldura plástica
desenhada pelo arquiteto universal.
Hoje é um dia único,
jamais haverá outro igual,
porque cada dia
tem sua própria identidade.

domingo, 14 de outubro de 2012

PIMENTAS NOS OLHOS DOS...

Eu não estou aqui para aplaudir
nenhum regime específico de governo
muito menos babar diante
dos ícones imperialistas do mundo,
pois percebi há muito tempo
que por trás do jogo das palavras,
demagogia e dissimulação quase sempre
aguardam o momento oportuno
para entrarem em campo, em nome
dos interesses cartoriais.

Apesar do exposto, outro dia me ative
ao discurso de um estadista,
àquela altura em que ele falou:
"Vocês, políticos, meus oponentes
são favoráveis à guerra,
porque jamais serão buchas de canhões.
No fim das contas, os mortos
nos campos de batalhas pelo mundo
não serão vossos apaniguados
nem vossos parentes,
muito menos vossos filhos..."

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

É TÃO DIFÍCIL

É difícil permanecer equilibrado
nos paralelepípedos da realidade
quando o medo invade as lacunas da existência
e os gestos covardes nublam o céu do cotidiano.

É difícil esperar pelos dias luminosos
aparentemente distantes, no horizonte,
se permanecermos de braços cruzados.

É difícil inventariar nossas virtudes
ainda tão comedidas
apesar da nossa gabolice diária.

É inútil crer na mudança brusca,
uma metamorfose repentina,
sem a intervenção do nosso íntimo.

É inútil crer na revolução através das armas.
Não existe solução para os problemas do mundo
longe da adoção do bom combate.
A mudança começa no coração do homem.
O império da justiça passa pela lei do amor.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Mas então?

Duas horas após a festa
dos vereadores contemplados
pelo placar urnífero,
alguns votos snobs
se encontraram no centro da cidade,
justo no momento em que os eleitos
queriam esquecer da campanha
e da cara dos votantes.
Os votinhos eufóricos gabavam-se
de uma importância além da conta:
falavam alto,
davam discursos;
uns procuravam ofuscar
o brilho dos outros,
através de virtudes específicas.
Um dizia, sou um voto consciente,
por isso escolhi o melhor para minhas cidade.
Outro falava, sou um voto inteligente,
votei no cara com visão de futuro.
Um terceiro afirmava, sou um voto pragmático,
Numa coisa, porém, todos eram unânimes:
exerceriam o poder fiscalizatório sobre os novos aprovados,
ai dos que fizessem xixi fora do penico,
que haveriam de ser ver com eles...
Àquela altura da falação,
alguns dos eleitos passaram por ali
e ao ouvirem a parolagem dos votos,
comentaram, sem remorsos:
coitados, são tão ingênuos!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

VOTOS DE CORDEL

No dia das eleições,
os votos entraram de greve
a ao contrário dos movimentos
orquestrados pelos sindicatos,
os votos estavam quietos.

Os candidatos nervosos,
falavam coisas desconexas,
prometiam mandatos decentes,
procuravam vender a impressão
de honestidade repentina.

As horas foram passando,
as urnas estavam vazias,
os candidatos foram às ruas
tentando adular os votos.

Foi um festival de cartazes,
faixas, bonés, camisetas,
música, doces e mimos,
mas os votos permaneciam escondidos.

Lá pelo meio da tarde
os candidatos desesperados, apelaram;
foram atrás da polícia,
pediram que a lei prendesse os votos.

Àquela altura do evento,
apareceu a mídia de fora
para ver o confronto de perto.
A força repressiva diante dos holofotes,
constrangida, decidiu:
não vamos achincalhar nossa imagem!
Ficaram de braços cruzados..

Veio o dia seguinte.
A mídia não tocou no assunto.
As manchetes dos jornais mostravam
as obras dos estádios da Copa.
Os cargos de prefeitos  vacantes.
Os votos trocavam mensagens pela internet:
melhor não termos governantes
do que entrarmos na onda daquela casta!

A imprensa ianque presente
no dia da greve branca
também não abordou a questão.
Preocupada com a eleição americana,
que acontecerá logo ali adiante,
discorreu sobre futebol, samba e mulata.
Os jornalistas gringos concluiram,
que apesar do episódio sui-generis
ter ocorrido num país terceiro mundista
o reflexo daquilo poderiam embaçar
os projetos de Obama e Romney,
 pois vai que a moda pega...



segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A MÍDIA, AH, A MÍDIA!

Hoje desliguei a tv, apaguei o rádio,
joguei o jornal na lata do lixo.
Estou cansado da notícias
de violência, miséria e pornografia.

Pena que os canais midiáticos estejam atrelados
à condução de temas desconstruintes.
Sei que serei contestado.
Muitos dirão que a realidade tem de ser mostrada,
que a sujeira não deve ser escondida debaixo do tapete.
Mas acho necessário que haja espaço
para o belo e o sublime.
Precisamos regar diariamente a plantinha do bem
para que ela frutifique pelo mundo inteiro.
Quando a humanidade estiver irmanada nesta causa
o mal desaparecerá da face da terra.