domingo, 14 de julho de 2013

BRAZUCAS

Durante séculos
nós, tupiniquins,
comemos nas mãos alheias,
bebemos das pipas importadas
e depreciamos o nosso nome,
ignorando a nossa força
como se fôssemos uma gente incapaz
de gravar a nossa marca.

Agora, sabemos do nosso valor:
não somos piores nem melhores
que nenhum outro povo,
mas apenas diferentes;
temos a nossa identidade.

4 comentários:

  1. Gostei de ler
    Bom dia, e uma boa semana

    abraço
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Cidália, obrigado pela visita.
    Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderEliminar
  3. Ola Dilmar
    E temos orgulho de sermos nós mesmos.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Olá querido Dilmar!
    Maravilhoso o teu poema! É isso mesmo, temos que valorizar nossas origens, o que verdadeiramente somos.
    Obrigada pela carinhosa visita, é sempre um prazer! Quanto ao teu comentário sobre a escolha do nome do blog, realmente é muito bonita a tua primeira opção, mas gosto muito desse que colocaste, acho que tem tudo a ver com o conteúdo do teu blog.
    Boa semana, amigo.
    Beijos.

    ResponderEliminar