terça-feira, 12 de janeiro de 2016

NAQUELE TEMPO

Houve tempo em que a poesia
coçava-me  a ponta dos dedos
quando esquecia de conduzir
o lápis e o bloco de rascunho,
daí então por vezes riscava
as estrofes febris na areia...
Os transeuntes despreocupados
passando ao lado das garatujas,
acho que pensavam consigo:
um louco passou por aqui!

16 comentários:

  1. Lindo!!

    Beijo e um dia feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderEliminar
  3. A essência de um poeta meu amigo Dilmar, porque antes de o vento apagar a poesia, ela chegou nos olhos e no coração dos transeuntes despreocupados que desconcertados querem logo nomear um louco de coragem que passou por aqui, e nos deixou este poema aqui no blog.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Jair Machado, obrigado pela visita e pelo carinho de sempre. Um abração. Tenhas um maravilhoso ano.

      Eliminar
  4. Acróstico

    No passado eram ágeis os pensamentos
    Assim, fáceis concluíamos versos bravos
    Que agora tropeçam nos acontecimentos
    Ubiquidade não temos, já somos escravos.

    Escrever na areia decisão que se impunha
    Letras e rimas escrevíamos sem problema
    E apenas o oceano era nossa testemunha
    Tudo era válido, qualquer fato ou esquema.

    E o tempo passou, o talento com ele levou
    Menos juventude então menos versos até
    Porquanto, somente a saudade aqui ficou
    O que restou são recordações e alguma fé.

    ResponderEliminar
  5. Caro amigo poeta Jair, pois então, tínhamos mais empolgação, com certeza.
    Obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar
  6. Oi, Dilmar!
    Quando paro nos lugares para anotar alguma "inquietação", também me acho "meio louquinha"!
    Beijo carinhoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Jossara, obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  7. Certamente um louco! Somente os loucos têm essa capacidade de ir além dos olhos vistos.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil.

      Eliminar
  8. Que sejamos todos loucos, então...que a sensibilidade da poesia, nunca se desapegue de nós! Lindo e muito inspirado, poema...parabéns, Dilmar! um abração, ania..

    ResponderEliminar
  9. Poemas onde quer que sejam escritos não é loucura, meu amigo Dilmar, antes de tudo é arte, é sentimento, é emoção. E existe lugar mais lindo para um poema do que ser escrito na natureza? Na areia, na rocha ou na árvore?
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Taís. Um abração. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  10. Lindo, lindo!...
    Metalinguagem simples e ao mesmo tempo rica!
    Abraços =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Nadine. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar