quarta-feira, 16 de março de 2011

POESIA

Nós, poetas, tantas vezes,
nos arvoramos
em escritores da poesia.

Nós, poetas, tantas vezes,
levamos nossa arte
ao encontro do aplauso.

Nós, poetas, tantas vezes,
ficamos desapontados
porque nos foi negado o pedestal.

Nós, poetas, nos nossos momentos de soberba,
esquecemos que somos apenas
o instrumento condutor do verso
porque a poesia preexiste em si mesma

12 comentários:

  1. Maravilha de versos, meu querido Dilmar!
    Identifico-me grandemente com eles! Grandemente!
    Você sabe, realmente, lidar com as palavras: é íntimo delas...
    Abraço, amigo!

    ResponderEliminar
  2. Vcs poetas,
    nos dão o tempero da vida!
    bjs querido.

    ResponderEliminar
  3. Olá querida amiga Zélia, obrigado pelo de sempre.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  4. Amiga zelia, preciso fazer uma retificação; faltou uma palavrinha no meu comentário: eu quis dizer, obrigado pelo carinho de sempre.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  5. Olá amiga Fatima. Obrigado pela visita. Volte sempre.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  6. Olá Juci, obrigado pela visita. Volte Sempre.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  7. Dilmar, querido,

    Que o poeta não se perca em vaidade, mas sim em versos.
    Lindo post!
    Bjão e bom fds

    ResponderEliminar
  8. Oi meu querido Dilmar, nossaaaa que saudade!
    Muito bom vir visitar você depois de tanto tempo e ler um poema tão lindo, nós "poetas" agradecemos! Não sei como pude deixar de vir mais vezes aqui... Obrigada por todo carinho Dilmar, você é especial querido, vou vir com mais frequência, o trabalho estava me consumindo mas agora esta tudo em equilíbrio! B-Jos. no seu coraçãozão.

    ResponderEliminar
  9. Amiga Ira muito obrigado pela visita.
    Um grande fim de semana.

    ResponderEliminar
  10. Anuga Pri, é muito bom ter você de volta a minha página. Podes vir sempre. Eu estarei esperando.
    Um grande abraço e um bom finds.

    ResponderEliminar
  11. Dilmar,

    Prece:Poesia me faz um instrumento da tua possibilidade de tocar o outro!

    Grande poesia!

    Beijos querido amigo,

    ResponderEliminar