terça-feira, 7 de junho de 2011

A PET E A CONSCIÊNCIA

O condutor da carroça, distraido
deixou cair uma pet cinco litros, vazia,
tipo recipiente de água,
às três horas da tarde,
no cruzamentos das avenidas
São Pedro com Farrapos.

No instante em que o semáforo
abriu para os pedestres
o vento jogou a pet
para a faixa de segurança.
As pessoas de passagem, indiferentes,
olhavam para a peça plástica
como se ela houvesse nascido
ali no meio do asfalto.

Três rapazes atléticos,
estilo usuários de academia
deram três ou quatro chutes
no utensílio indefeso,
mas por causa do vento
que soprava naquela tarde
a garrafa voltava ao lugar
de passagem dos transeuntes.

A menos de cinco segundos
para abrir o sinal dos carros,
uma moça apanhou o brinquedo dos meninos
e o conduziu por uns duzentos metros
até encontrar um receptáculo disponível
para reciclável na calçada.

Eu, que, extático, observava o evento
senti-me no dever de parabenizar
a atitude desprendida daquela mulher
e no instante em que fazia
fomos ridicularizados por um cidadão
que acompanhava tudo de perto.

10 comentários:

  1. Obrigado pela visita Dilmar ao "Espiritismo para todos".
    A mensagem da Pet é de grande importante para os espíritas que temos o conhecimento de estarmos sendo observados o tempo todo pelo plano espiritual.

    Ser poeta é ser um magistrado do amor.

    Um abraço do amigo Tadeu.

    ResponderEliminar
  2. Vai ser sempre assim:
    Os cães ladram e a carruagem passa.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Caro, Dilmar!
    As pessoas sentem-se ofendidas pelas ações dos outros?! Principalmente, se as ações forem boas, demonstrando que você é culto, inteligente e com uma postura positiva. Isto me faz queimar alguns neurônios, mas ainda não entendi!
    beijo

    ResponderEliminar
  4. Amigo Tadeu, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário. Um abraço fraterno.

    ResponderEliminar
  5. Amiga Fatima, obrigado pela visita.
    Um abraço e uma boa noite.

    ResponderEliminar
  6. Amiga sexo, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário.
    Um abraço. Tenha uma boa noite.

    ResponderEliminar
  7. Dilmar querido, acredito que a única solução pra mudar esse quadro é a educação, que cada um comece a fazer sua parte, principalmente, dentro de casa, na educação da próxima geração.
    Bj grande e bom fds

    ResponderEliminar
  8. Amiga Ira, com certeza, somente a educação fará a diferença. Um grande abraço e um bom finds.

    ResponderEliminar
  9. Olá Dilmar,
    Sua postagem é o verdadeiro quadro de nosso cotidiano porto-alegrense. Chega a dar tristeza de ver pessoas que atiram papéis ou pequenas embalagens plásticas , inclusive pelas janelas de carros. E eu fico a pensar... como será o ambiente na casa dessas criaturas que tanto menosprezam a limpeza pública?
    Muito bom seu texto. É aquela história que fala que "cada um dá o que tem".
    Beijos e um abração.
    Maria Paraguassu.

    ResponderEliminar
  10. Amiga Paraguassu, obrigado pela visita e obrigado pelo seu comentário.
    Um abraço fraterno. Tenha um bom dia.

    ResponderEliminar