domingo, 27 de maio de 2012

O TEMPO VOA

Às vezes fico pensando
como a vida passa veloz
Ainda parece que foi ontem
quando eu andava de calças curtas.

Após a curva da metade do caminho
a existência passa tão depressa,
que algumas vezes eu imagino
que somos produto de um sonho.

Ai que saudade de antigamente
do doce período da infância.
Aquilo era outro tempo
e as horas corriam a nosso favor.

Quando as lembranças vêm à tona
algo diferente se passa aqui dentro.
São sensações nostálgicas tão intensas
que eu tenho medo de descuidar do presente.

20 comentários:

  1. O tempo é o único bem precioso que desperdiçamos por pura distração.

    Excelente poema e excelente tema.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perfeito amiga Melysande. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  2. Bom dia amigo !!!!
    Venho desejar uma linda segunda-feira !
    Com a paz do Cristo ...
    Que tempo esse hém?
    Foge de nós e nos leva só para reflexões...
    Poema cheio de tempo,o tempo que não temos mais...
    bjssssssssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado escritora. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  3. É muito rápido. O tempo tem uma velocidade aparentemente lenta. Acho que por ser continuo, perdemos a noção de seu valor. poderia ser bem mais lento, rsrsr. Como você mesmo disse, são as lembranças quando vem lembrar o nosso descuido com ele.
    beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois amiga Janice, alguém já disse que o tempo é uma metáfora.
      Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  4. Lindo poema...tenho muita saudade do meu tempo de criança.
    O tempo não passava...esperava o ano inteiro pelo Natal!
    Meu Deus, e omo demorava!! As férias da escola, então!
    Tempo bom...
    Hoje, nem vejo o tempo passar. E o pior é que acho isso bom!

    Tenha uma semana repleta de luz e paz!!
    Beijos!♥

    ResponderEliminar
  5. Amiga Mari, acho que isso acontece com todo o mundo. Acho que ninguém fica imune a essa questão. Um abraço. Tenhas uma semana iluminada.

    ResponderEliminar
  6. Meu amigo, lamento as oportunidades que na minha época não existiam. Onde uma faculdade era algo bem distante e o ser mãe e dona de casa era o que minha mãe falava. Na verdade ela nem precisava falar, vamos vendo exemplos. Se eu tivesse a cabeça de hoje naquela época seria tudo de bom...mas fazer o que né, agora é correr atrás do preju. bjim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simone, obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  7. Também me sinto muitas vezes assim.Essas lembranças de infância nos deixa nostálgicos mesmo.Mas acho que é uma nostalgia boa.Ainda bem que temos coisas boas pra lembrar né.Muito boa sua crônica Dilmar. Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, Regina. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  8. O tempo é a única lembrança da vida. Do resto, só saudades do que não foi, ou do que foi. Lindo poema, e como sempre, maravilhosa inspiração.


    Te desejo uma ótima tarde de segunda-feira, uma excelente e abençoada semana. Cheia de paz, luz e inspiração.
    Grande abraço.
    Tatiane.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tatiane, obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  9. Como sempre é uma delícia ler tão belas poesias.Grande abraço para meu querido amigo.

    ResponderEliminar
  10. Às vezes fico pensando,
    Porque tantas injustiças haver
    Com fome o povo trabalhando
    Para outros enriquecer!

    Quando eu andava de calças curtas
    E nos pés sem sapatos
    Contra os opressores as nossas lutas
    Porque ficavam com os nossos patacos!

    Se conquistou a liberdade
    Com ela vieram outros opressores
    Se dizem ter mais personalidade
    Chamados de senhores doutores!

    Obrigado pela sua visita
    uma boa tarde terça-feira
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo poeta, obrigado pelo comentário. Um abraço daqui do sul do Brasil.

      Eliminar
  11. Achei bem sensível a preocupação com o descuido do presente, diante das fugas constantes ao passado. Essa forma como finalizou, foi a parte que mais gostei. É como hesitar entre dois mundos. Imaginei o autor uma pessoa atenciosa e querida com os que lhe são caros.

    ResponderEliminar
  12. Obrigado amiga Rosa. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar