sexta-feira, 19 de março de 2010

À PESSOA

Admiro o guardador de sonhos
que os armazena por gosto
sem medo de parecer louco.

Invejo o homem telúrico
que faz da terra,
extensão do corpo.
..............................................

Não fugirei à sina
de versejador,
catador de palavras
na tarefa inglória
de agarrà-las
aqui, ali, alhures...
e depois, jogá-las
no buraco do tempo.

1 comentário:

  1. [dentro do vento, onde se escondem as palavras... hajam olhos para as escutar!]

    um imenso abraço, Dilmar

    Leonardo B.

    ResponderEliminar