quarta-feira, 7 de setembro de 2011

INDEPENDÊNCIA OU DEPENDÊNCIA

Imaginemos aquela célebre tarde,
perdida no tempo,
quando Dom Pedro gritou para o mundo:
Independência ou morte.

Também podemos imaginar
que não aconteceu nada daquilo.
O ato de nossa independência pode ter sido menos épico,
mais condizente com a nossa realidade, naquele momento.

Não importa o que haja ocorrido,
interessa mesmo que a 07 de setembro
ou em outro dia qualquer de 1822,
esta terra ganhou carteira de identidade.

Talvez, naquele tempo
o povo nem soubesse qual a diferença
entre colonia e nação,
mas com o andar da carruagem
o Brasil ia mostrando a cara para o mundo.

Entretanto, para o povo,
nunca ocorreu a independência de fato
sempre estivemos dependentes das circunstâncias.
Houve uma época, lá nos anos sessenta,
que tínhamos vergonha do termo patriota,
porque a palavra era muito usada
pelos usurpadores dos direitos civis.

A nação brasileira deve comemorar as coisas boas
que estão a demarcar nossa história.
entretanto, no momento em que começamos
a sentir alegria de sermos brasileiros,
é impossível ignorar,
nossa dependência às mazelas cotidianas:
a dependência ao maus políticos
que se locupletam a custa dos nossos votos;
a dependência da falta de segurança reinante em toda a parte;
a dependência do sistema de educação retrógado;
a dependência de um sistema de saúde sucateado;
a dependência aos foras-da-lei, que não respeitam ninguém,
pilhando, roubando e matando as pessoas
como se estivéssemos dentro de uma guerra civil.

Mas a esperança não pode morrer
acreditemos que tudo passará,
que os novos tempos de paz virão,
que ainda vamos andar sem medo pelas ruas,
que não precisaremos pôr grades de ferro às nossas portas,
que a violência e a maldade hão de sumir, pois, afinal, somos todos irmãos!

Meu Brasil, te amo!

18 comentários:

  1. Tomara que sim, amigo, lindo poema, o coração se inflama porque lamentamos tantas coisas, mas amamos tanto esse país,a esperança continuará sempre, grande abraço, feliz 7 de setembro!

    ResponderEliminar
  2. Nós, brasileiros, temos mesmo uma fé inabalável!
    Texto perfeito para o dia de hoje, Dilmar! Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga Eva, apesar de tudo, é impossível não amarmos o nosso Brasil!
    Um abraço do tamanho do Brasil.

    ResponderEliminar
  4. Amiga LU, a nossa fé é do tamanho do Brasil.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  5. Um grande clamor a verdadeira independência em forma de poesias.ao qual não desistimos de chama la de pátria Amada...

    Beijos Dilmar

    ResponderEliminar
  6. Precisamos recuperar esse amor pela pátria, talvez ele desperte o discernimento para escolhermos melhores representantes e governantes no nosso país. Um grande abraço, meu querido.

    ResponderEliminar
  7. Amiga Cecilia, aconteça o que acontecer, jamais deixaremos de amar nosso Brasil.
    Um grande abraço. Tenhas uma linda noite.

    ResponderEliminar
  8. Querido amigo,

    Quero só de deixar um abraço. Hoje estou muito pé no chão, mas os otimistas de alma diriam: pessimista.
    É que os história muda, conquistamos algo, mas o humano traz em si algo destrutivo, ganância e desejo de poder e isso traz mazelas em qualquer época.
    As x perco as esperanças na gente!

    Viu, devia deixar só o abraço!rs

    Um grande abraço,

    Anna Amorim

    ResponderEliminar
  9. Temos mais a lamentar do que a comemorar. Fato.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. Anna Amorim querida, obrigado pela tua visita aqui no meu espaço. Estava sentindo saudade de ti.
    Um grande abraço. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  11. Amiga Luna, obrigado pela visita. É uma constatação dolorosa, mas tu tens razão.
    Um abração. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  12. É tudo uma grande mentira. E como toda mentira, tentam deixá-la bela!

    ResponderEliminar
  13. Esse Brasil que tanto amamos, mas que precisa mudar urgentemente, pois não haverá mais um só lugar de paz se tudo continuar do jeito que esta, infelizmente, de livre não temos nada, adorei o seu texto, beijos!

    ResponderEliminar
  14. Amiga Keila, obrigado pela e obrigado pelo comentário. Um abração. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  15. Amiga Sonia Amorim, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário. Um grande abraço. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  16. Bom dia meu mais novo amigo!
    Vc passou na minha casa,deixou seu rastro,mas não quiz participar da festa.Essa festa tão linda que fiz só para vcs que fazem parte do universo de blogueiros.Quero que volte lá e coma bolo e beba vinho,pois ainda tenhe, que deixei só prá vc!
    fico grata por querer fazer parte da minha legião de amigos.Vamos nos dar muito bem.Amo a escrita ,vivo dela e tbm dos amigos que escreve.Andei lendo suas escritas e gostei,por isso quero trocar informações com vc.Te aguardo lá,ok!
    bjs para aquecer teu dia !

    ResponderEliminar
  17. A "independência" cismo eu que nunca tenha existido de fato, basta observarmos as multinacionais comandando hoje em dia anossa política.

    E tua poesia no entanto, é um clamor glorioso..

    ótima semana

    ResponderEliminar