segunda-feira, 12 de maio de 2014

LEMBRANÇAS DO REALISMO MÁGICO



Sara, menina adolescente
continua mamando nas tetas da mãe.
Essa jovem de 14 anos já deu a luz
e é mãe de Ana, menina de quase um ano.
Sara nunca teve leite e por consequência Ana
mama nas tetas da  Avó, Eva, mãe de Sara.
Ultimamente, as jovens mães secas da rua de Sara
fazem fila, com seus bebê ao colo, à porta de Eva.


25 comentários:

  1. Mamar é viver

    Haverá que se ter continuidade
    Num avançar amoque ao futuro
    Porque só existirá a humanidade
    Se sempre houver porto seguro.

    Se nada jorra dos seios maternos
    Vale portanto procurar outra fonte
    Porque os seres só serão eternos
    Se lhes advier um novo horizonte.

    Da vida assim tão pouco solene
    Vale somente pouco que se leva
    Se pretendemos torna-la perene
    Afastemos de todo a negra treva.

    Vamos pois preservar nosso gene
    Mamando nas tetas da mãe Eva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poeta Jair, obrigado pela replica poética. Gosto das tuas glosas, sobretudo porque são superiores aos escritos postados por mim.
      Um abraço. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
    2. Dilmar, não me deixe constrangido, não quero e nunca irei supera-lo, desejo somente usar tuas ideias e verve para compor um sofrível soneto que tenha alguma ligação, pelo menos gramatical, com teus excelentes textos e composições poéticas. Você é bom e talentoso. Obrigado pelos posts que nos fazem pensar. Abraços, JAIR.

      Eliminar
  2. Boa tarde Dilmar Gomes

    Gostei de ler este artigo.. mas é verdadeiro???


    Tem uma otima semana

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  3. Pois é estranho, mas se o amigo conta.
    Da Irlanda onde me encontro deixo um
    beijo e o desejo de que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Irene, obrigado pela visita. O post foi baseado num fato real, pois houve uma menina aqui numa cidade da região metropolitana de Porto Alegre que mamou na mãe além dos dez anos. Depois a menina, ainda adolescente teve uma filha, que mamava nas tetas da avó...
      Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma bela estadia na Irlanda.

      Eliminar
  4. Muito obrigada, pela sua gentileza em me explicar. Pois há coisas que acontecem pelo mundo fora, que nós nem sonhamos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Dilmar, gostei da forma como expôs em versos uma situação que está cada vez mais comum nesse país, crianças dando a luz, tem meninas de nove anos já gerando filhos sem nem sequer terem noção da situação!
    Abraços meu amigo, tenhas uma linda semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Ivone. Um abração. Tenhas, sei que terás, um lindo dia.

      Eliminar
  6. Realidades que nem sempre se entendem à primeira.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pérola, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  7. Oi meu amigo,
    Muito interessante e muito verdadeiro o teu poema.
    E, por certo, a história se repete... é lamentável essa situação.
    Um grande abraço. Que a tua semana seja abençoada e feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, amiga Ilca. Um abraço. Tenhas um dia abençoado.

      Eliminar
  8. Nossa!!! Muito lindo e semelhante à realidade, infelizmente! Passando para dizer-lhe que a festa de aniversário já começou! Em meu Blog, só falta voc~e! rsrs Boa noite! Lindos sonhos, querido amigo!! Um beijo de luz e carinho!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Aparecida, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um belo dia.

      Eliminar
  9. Que poema-história intrigante. Não consigo imaginar uma situação desta. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um dia abençoado.

      Eliminar
  10. da menina adolescente!
    Mandamos embora a tristeza
    cantando alegremente
    é gente com certeza.

    O seu poema animador,
    iluminado pela luz da beleza
    Nasceu uma menina flor
    filha da mãe natureza!

    Tenha uma boa tarde,
    amigo Dilmar Gomes, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Eduardo, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  11. Surpreendente, este olhar despido de artifícios!...

    Um beijo

    ResponderEliminar
  12. Dilmar


    volto para dizer
    A quem mesmo longe

    foi visitando o meu blogue

    Obrigada, senti a força e
    E o abraço!...

    Um beijo e muita amizade

    ResponderEliminar
  13. Boa noite, Dilmar. Uma triste realidade vista em todos os lugares.
    Quantas Saras existem por aí?
    Precocemente iniciam sua vida sexual, quando deveriam estar focadas em estudos e objetivos de vida.
    Como sempre, a avô, cria e educa mãe e neta.
    Parabéns.
    Tudo de bom!
    Parabéns!
    Beijos na alma!

    ResponderEliminar
  14. Nossa!!! Muito comovente!! A simplicidade e a felicidade de mãos dadas!! Gostaria de conhecer uma história igual a essa! rs Abraços ternos de uma feliz sexta feira, querido amigo!! És maravilhoso escrito, poeta e gente do bem!! Sua presença em minha página é algo por demais valioso, assim como sua amizade... coisa que não se compra em nenhuma loja de conveniência ou outro lugar! Obrigada por tudo! Beijos!!! Bom dia!!!

    ResponderEliminar