segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

VELHO DEZEMBRO

Então  percebi que dezembro
entrou sem bater na porta.
Com suas passadas largas
está avisando os mortais,
que não pretende se demorar,
que está cansado
de dar suporte à farsa,
pois nem as crianças acreditam
na história do bom velhinho,
porque Natal, hoje em dia,
virou barganha no comércio.
Dezembro anda ressentido
com a ingratidão da galera,
que depois da comilança
e beberança do dia 25
cospe no prato, e no dia 31
quer vê-lo pelas costas,
pois não fala de outra coisa
que não seja a entrada
do  NOVO ANO.







16 comentários:

  1. Meu amigo Dilmar, dezembro nos faz refletir na vida como ela é e não como nós desejamos que seja, pois é, vem o ano novo que logo também fica velho e por sua vez vira dezembro também, ai, filosofei por aqui,rs, mas é mesmo para nos fazer refletir que com sabedoria nos presenteastes com esse poema!
    Abraços meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, obrigado pela visita. Obrigado pelo comentário, Um abraço. Tenhas, sei que terás, um lindo dia.

      Eliminar
  2. Soneto-acróstico
    Natal

    Diz a tradição que dezembro é Natal
    Então nos forçam andar ao comércio
    Zunindo entre gente, lojas coisa e tal
    Espoliados até o derradeiro sestércio.

    Mais importante que tudo é comprar
    Basta ter no bolso aquele tal cartão
    Resta-nos no Shopping a cada andar
    O mais adquirir até encher caminhão.

    É nem pensar sequer nossos motivos
    Nunca fazer conta de preços em alta
    Apenas enricar os comerciantes vivos.

    Tal febre comprista também ressalta
    Atos religiosos como fossem nocivos
    Lembrando apenas de refeição lauta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo poeta Jair, obrigado pela réplica poética perfeita para o post. É isso ai, dezembro se transformou num balcão de negócios. Um abraço. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  3. Desejo-lhe a si e a todos os seus, um optimo mês de Dezembro.

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

      Eliminar
  4. Ôwwww amigo... adoro dezembro, mês do meu aniversário!... Bjs

    ResponderEliminar
  5. Amiga Nidja, obrigado pela visita. Parabéns pelo aniversário. Tenhas um lindo dia.

    ResponderEliminar
  6. E não é que o amigo tem muita razão ao ter escrito
    este poema? Está certíssimo!!!
    Desejo que se encontre bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Irene, obrigado pela visita de além-mar.
      Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  7. Querido amigo Dilmar, pode ralhar comigo, estou em falta contigo.(Olha só consegui fazer uma rima hehe) Desculpe a minha ausência meu amigo, estou em falta com muitos amigos queridos, dos quais tem blogs que admiro muito, inclusive o seu. É um cantinho gostoso, que na correria da vida, nos faz relaxar um pouquinho e refletir muito. Esse poema ficou perfeito, é bem o que acontece. O Natal já não é mais o mesmo, a muito tempo não é? Infelizmente o problema está na ausência de Deus no coração das pessoas, o Natal é puro consumismo desenfreado, e muitos esquecem de agradecer por tudo que nos foi dado, pelo ano que passamos. Mas tem o seu lado bom que é estarmos reunidos com a família e amigos, muitos, infelizmente já não estão mais conosco, mas a vida segue não é?
    Tenha uma excelente quinta feira. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Josy, não apoquentes pelo fato de não ter conseguido visitar-me nos últimos dias, pois todos nós, em determinados momentos, vimo-nos enrolados em meio às circunstâncias, que falta tempo para tudo. Isso é normal. Quanto ao Natal, atualmente perdeu o sentido real e se transformou numa festa mercantilista. Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  8. Bom dia caro Dilmar,
    Decididamente, dezembro fez-se ouvir pela sua voz. Que original maneira de bradar contra a "crueza" da nossa sociedade, transformada numa consumidora de bens materiais, do imediatismo e mais nada. Onde o que realmente tem valor, fica na beira do prato.
    Mas ainda, no meio disto, há exceções que valem a pena, nem tudo estará perdido, acreditemos.

    Abço amgo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Carmen, nada está perdido para o indivíduo consciente, mesmo que à volta dele, o mundo esteja às avessas.
      Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  9. Bom dia Dilmar.
    Eu amo Dezembro, é o més do nascimento de Jesus, é ultimo més do ano, onde vamos de encontro a um novo ano rsrs. Existe sim consumismo, aumento de violência, para aqueles que ainda não conhece o verdadeiro significado de Natal, aniversario do nosso senhor Jesus Cristo. Um lindo Dezembro meu amigo.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  10. Olá, Dilmar, assino embaixo!
    Você disse tudo em pouquíssimas linhas! Também cansei, meu amigo.
    Abração!

    ResponderEliminar