quinta-feira, 10 de setembro de 2015

SUICÍDIOS

O contingente de suicidas tem aumentado sobremaneira
apesar das surradas campanhas (entre aspas) em prol da vida
ao mesmo tempo em que indivíduos de vontade frouxa
são sistematicamente induzidos ao suicídio através da morte lenta.

Em boa hora foram abolidos comerciais de tabaco
que insfestavam as grades televisivas do mundo
entretanto proliferaram os espaços comprados
para convecer os incautos ao consumo do álcool.

De que adianta órgãos governamentais promoverem
campanhas (tímidas) contra as drogas proibidas
enquanto, distraidamente, fecham as pálpebras
e abrem as janelas  do cartel das drogas lícitas?


12 comentários:

  1. Excelente e elucidativo poema. Com muitas verdades. Adorei

    Beijinho e um dia feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  2. Meu bom amigo e poeta Dilmar, assim é tudo neste país, infelizmente, o lucro acima de qualquer coisa, acima da vida. Eu naõ conseguia entender as progagandas de cigarro atrelado a algo esportivo, assim como cerveja patrocina futebol, o esporte mais popular deste país. A questão da educação na família, agora não muito, mas ainda presente que homem que é homem bebe e fuma, enfim...Na verdade como dizes é um suicído lento. Sempre muito bom refletir aqui contigo caro amigo Dilmar.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Jair, obrigado pela visita comentada. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  3. Boa tarde, Dilmar, sua postagem nos fala sobre um assunto triste, porém real. Aqui em nossas cidades, na semana passada dois homens se suicidaram, foi terrível viver a tristeza das famílias. O pior é que sabemos que o índice de suicídios é bem maior do que nos é repassado pela mídia. Sabemos que há um interesse maior em não divulgar, pois há prejuízo, caso venhamos a saber. Lamentável, meu caro amigo. É uma questão de conscientização, cabe a cada um de nós de alguma forma fazer a mudança acontecer. Obrigada por compartilhar tão rico poema! Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga Marli, obrigado pela visita comentada. Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  4. Diálogo suicida

    Você bebe e ainda faz bravata
    Saiba que bebida faz mal a gente
    Inclusive, muitas vezes ela mata
    Ou incapacita-nos completamente

    Então sou mero suicida burocrata?
    Que um dia vou morrer indigente?
    Saiba que terei uma morte pacata
    Porque a bebida mata lentamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Jair, obrigado pela visita poética. Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

      Eliminar
  5. Pois é, a bebida tem os mesmos efeitos devastadores: vai minando o próprio, a família e um risco nas estradas para os outros que nada têm a ver com a bebedeira; o cigarro está provado e comprovado dos riscos pessoais(câncer) - campanhas em cima de campanhas... Mas e daí, né...?!
    Abraços, amigo Dilmar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, obrigado pela visita comentada. Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  6. Suicídios de morte lenta,
    porque, são terríveis os civios
    proibir as drogas não adianta
    nem os avisos televisivos.

    O tabaco, mesmo pouco é sempre veneno,
    já o álcool desde que seja, pouco não será
    façam como eu que com pouco me contento
    se você beber com moderação mal não fará?

    Tenha uma boa noite e um bom fim de semana,
    amigo Dilmar, um abraço.
    Eduardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abração da qui do sul do Brasil. Tenhas um belo domingo.

      Eliminar