sexta-feira, 9 de junho de 2017

NAQUELE TEMPO

O sonho de consumo
da minha geração
era radinho de pilhas
e calça azul desbotada.
Hoje,isso soa estranho:
como éramos primitivos!
Vivíamos com nossas tralhas,
enchíamos as salas dos cinemas
e curtíamos nossas gírias.
nos bate-papos das patotas.
Meus caros jovens,
somos, sim, jurássicos!

4 comentários:

  1. Limerique

    Os que do passado sentem nostalgia
    Idosos hoje. recordam velhos dias
    Mulheres e homens decanos
    Assistiram passagem dos anos
    Relembrando como outrora se vivia.

    ResponderEliminar
  2. Belo texto! Adorei ler :)

    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia querido amigo Dilmar
    Como é bom recordar ao passado. Sua palavras me fez relembrar os momentos maravilhosos onde ficava com meu amado Pai escutando um radinho que ele não desgrudava. Chegava todos os dias do colegial e lá estava ele escutando e sempre ficando a par dos acontecimentos pelo rádio. Tempos bons. Os jovens de antes creio eu eram mas felizes. Os de hoje vivem enterrados na tecnologia. Um lindo fds. Abraços.

    ResponderEliminar
  4. Naquele tempo a energia era movida a pilhas,
    não havia telemóveis, internet, nem televisão
    mas, haviam muitas outras divertidas energias
    com as novas tecnologias, em desuso já estão!

    Tenha um bom fim de semana caro amigo poeta Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar