terça-feira, 15 de novembro de 2016

DITOS

Eu e muita gente pensamos
que  nos induziram  a crer
durante     muito    tempo
que somos um povo bom.

Diz o adágio que um mentira
repetida   sistematicamente
adquire   foro de verdade
no transcorrer do tempo.

Mensagens à margem do equívoco
nem sempre foram  analisadas
à priori, quando    vendidas
no balcão da maldade.

Pois muitas vezes, o desejo
das almas boas  de  transmutar
o lixo que paira sobre as cabeças,
o joga  sob  o  tapete da realidade.

Fôssemos um povo  bom,
as estatísticas brasileiras
não seriam recheadas
de tanta perversidade.

Fôssemos de fato um povo bom
não haveria tanta desonestidade,
tanto crime, tanto roubo,
nem tanta corrupção







12 comentários:

  1. Acróstico

    Diz-se que brasileiro é honesto
    Indivíduo probo sem maldade
    Também eu agora me manifesto
    Observo com maior boa vontade:
    Será que só eu é que não presto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Jair, obrigado pela réplica poética. Um abraço. Tenhas um ótimo dia.

      Eliminar
  2. Gostei de ler esse texto. Não somos um povo bom, não somos uma humanidade boa. Somos sim, perversos e maus e a cada dia multiplica-se a iniquidade, por multiplicarem-se os homens.
    Um abraço, Dilmar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, amiga Sandra. Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  3. A maldade impera nos corações sejam em fatos ínfimos ou de grande proporção. Verdade seja dita somos retalhos de sociedade hipócrita que tem uma linda oratória mas os atos não condizem com eloquente discurso. Gostei da verdade contundente desse seu poema meu amigo
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, amiga Gracita. Um abraço daqui do sul. Tenhas uma ótima tarde.

      Eliminar
  4. Também concordo! Com tudo que está aí derramado e vergonhoso, quem teria a coragem de dizer que somos um povo bom? A corrupção, a má fé começam numa fila banal de uma Instituição qualquer. Em todos os cantos desse país há um vigarista tentando dar golpes baixos. E como proliferam!!
    Abraços, meu amigo, ótimo tema pra clarear nossos horizontes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, amiga Tais, pois tenho a impressão de que o sindicato dos vigaristas é o segmento que mais cresce neste país.
      Obrigado pela visita. Tenhas uma boa tarde de temperatura amena - que estes pingos de garoa e estes lampejos do sol nos proporcione uma sensação boa.

      Eliminar
  5. Poema excelente. Parabéns

    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  6. Dilmar, na família e na escola me diziam que o brasileiro é um povo bom, pacífico, disposto a ajudar a quem precisa de ajuda. Passei a infância e boa parte da adolescência engado pela família e pela escola.
    O brasileiro é um povo violento. E isso vem de muito longe, vem do Portugal colonizador, que escravizou homens e mulheres durante séculos. Seres humanos que foram tratados como mercadoria, que foram torturados no físico e na alma. Que povo bom é esse?
    Que povo bom é o brasileiro, que tem políticos que tiram a comida dos pobres para engordarem suas contas bancárias na Suíça e em outro paraísos fiscais?
    Os bons brasileiros, e são muitos, devem concordar contigo, amigo Dilmar (e com o que digo neste comentário).
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, meu caro amigo Pedro. Um abração. Tenhas uma tarde primaveril.

      Eliminar