sexta-feira, 4 de novembro de 2016

ACHO QUE ESTOU RABUGENTO

Depois de muito anos
sem ouvir rádio
senti vontade
de conectar
as ondas.
Retirei
um aparelho
do bau
e confesso:
soou estranho,
fora de foco
Acostumado,
antigamente,
com a velha
Rádio Guaíba,
AM, 720;
agora só encontrei
estações FMs
irradiando
futilidades,
asneiras,
bobagens...
Será que as rádios
perderam a qualidade
ou eu mudei para pior,
ficando chato, ranzinza
e rabugento?


15 comentários:

  1. Hehehehehe Deu-me vontade de rir o titulo. Eu acho o mesmo de mim :-)

    Beijo
    Bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  2. Tens razão, muitas programações são difíceis de ouvir. Escuto alguma coisa da CBN, da Band, rádio da Universidade, da rádio Cultura- de Porto Alegre e Guaíba. Quando uma não dá, pulo pra outra. A Pampa com o programa do Marne Barcelos e o do Gustavo Vitorino, gosto.
    Música? muito difícil...
    Abraços, meu amigo! Não estamos rabugentos, o nível é outro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, cresci ouvindo a jovem rádio Guaíba, jovem na época - ela é de 1957 (eu sou de 1951) - a programação era muito diferente. A velha Guaíba não tocava jingles, lembras? Os comerciais eram falados por excelentes locutores e locutoras. Havia na emissora o cara que eu considero o "papa" do rádio gaúcho: Flávio Alcaraz Gomes. Lá também estavam Sergio Jockymann, Amir Domgingues, Ruy Carlos Ostermman, Pedro Carneiro Pereira, Adroaldo Streck, Osmar Meletti, Calvero, Ivete Brandalise, Teresinha Irigaray, o inesquecível Fernando Veronezi. Mas em 1984 com a falência da Caldas Junior e a venda da massa falida para o Sr. Erico Ribeiro, a emissora ficou uma rádio comum, igual às outras. Também fui ouvinte, durante muito tempo da radio da Universidade, no tempo em que o Celestino Valenzuela trabalhava lá. Esta emissora também uma programa excelente, permeada, como tu sabes, pela execução de músicas clássicas, aliás, acho que única que toca música erudita aqui na capital. Pois o Marne Barcelos, lembro dele no comecinho dos 70's, acho que na antiga rádio Difusora. Lembro-me também do Antonio Carlos Contursi - o Cascalho - na Antiga Continental AM 1120, também do Cândido Norberto, da Tânia Carvalho, ambos na rádia Gaúcha e o Jota Bronquinha - este morreu enquanto fazia uma trasmissão ao vivo , na rádio Farroupilha. Ha, ainda havia o Dilamar Machado e o inesquecível Milton Ferreti Jung, que lia as notícias do Correspondente Renner...
      Havia muita gente boa e bons programas naquele tempo.
      Abração. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
    2. Báh, o que você citou era a nata do rádio!! Também adorava o correspondente Renner, o Streck, o Veronezi, a Tania, o Jockymann... e por aí vai. Agora o time é outro: gosto do Diego Casagrande, Ricardo Boechat, Marco Antonio Villa. Essa turma é muito boa.

      Eliminar
  3. Meu bom amigo e poeta Dilmar, eu estou ranzinza, mesmo gostando de pop e coisas ditas modernas...o rádio foi meu primeiro contato com a comunicação a distância. Amo música, mas confesso não aguentar muito tempo em uma rádio, a estupidez é reinante, as músicas banais, sem conteúdo...mas não se preocupe as rádios perderam/venderam a qualidade, o tal 'jaba'. Como disse nossa querida amiga Tais não estamos tão rabugentos, são outros tempos, infelizmente tristes e óbvios, não há espaço para o belo, mas para a mediocridade que vive nossa sociedade hoje em dia. E os jovens que se negam a ver o passado musical deste país no mínimo são burros e alienados, mas fazer o quê, meu caro amigo...resta-nos a saudade de um tempo bom que podemos viver.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro e querido amigo Jair Machado, minha mulher diz que estou ranzinza, porque, com o advento da internet, parei de ouvir música nas rádios, pois existe a opção de a gente fazer a programação que bem entender e futebol que eu ouvia no rádio, agora vejo na tv, pois os canais fechado permitem a gente ver tudo por um valor módico. Às vezes, pego carona no carro da minha filha, e quando ela liga o som do carro fico chocado com as músicas que o pessoal jovem está ouvindo no momento. Penso que chamar de música a produção lançada no mercado atualmente é um ato generoso.
      Pois amigo, que saudade dos tempos da nossa juventude. Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

      Eliminar
  4. Com tantas trafulhices feitas,
    porque é que não houvera de estar
    por causa de mentes imperfeitas
    que nos estão a apoquentar!

    Se fossem só as rádios,
    seria um mal menor
    mas são os falsários
    a causa do mal maior!

    Boa tarde e bom fim de semana amigo Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, meu caro amigo e poeta Eduardo, ainda se fosse somente as rádios seria um mal muito pequeno, pior que estamos nas mãos dos falsários, dos corruptos, dos assassinos...
      Um abração daqui do sul do tropico. Tenhas um bom fim de semana.

      Eliminar
  5. Sinto o mesmo q você. Atualmente não consigo mais ouvir rádio. Se vc está rabugento, estou igual. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois amiga Denise, menos mal que a gente ainda consegue cavocar boas coisas na internet, como vídeos antigos, por exemplo, além dos vídeos espíritas, espiritualistas, tem também coisas relacionadas com a História, conhecimentos gerais, etc...
      Um abraço daqui do sul. Fique na paz.

      Eliminar
  6. Acróstico

    O que está acontecendo agora
    Rádios, quase todas conspurcadas
    Acabou o romantismo de outrora
    Bobagens não têm datas marcadas
    Uma bagunça a toda e qualquer hora.

    Gostava muito de rádio também
    Escutava e era uma curtição, sim
    Nenhum conteúdo agora contém
    Tanta merda e assunto chinfrim
    O meu ouvido tornou-se um refém.
    ?

    ResponderEliminar
  7. Verdade,pouca coisa se aproveita aos ouvirmos as rádios hoje em dia. Você me fez lembrar que há muito tempo não ouço radio. Isso era muito comum antes de termos acesso fácil às notícias através de um simples toque. Obrigado pela visita

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Acha que está ou tem a certeza?
    Aqui também há muita rabugice
    só queria, mesmo, que você vice
    como é nesta Nação Portuguesa!

    Bom fim de semana, caro amigo poeta Dilmar, um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Dilmar boa noite ,ainda hoje estava pensando o mesmo aqui em casa , sou eu ou estas radios estão chatas e ruins, mas pelo jeito a opinião é igual não somos nös é a qualidade ,forte abraço elisa

    ResponderEliminar