quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

HEMINGWAI

Nestas manhãs abençoadas
de temperaturas amenas,
oásis dentro   do    verão,
lembro-me da sugestão
de Enest Hemingwai,
escritor norte-americano:
para criar alguma coisa
escreva a frase perfeita,
sem adornos e retoques,
e terás um bom início.
Mas frases são feitas
de sons   e   palavras,
ferramentas voláteis,
olhando de longe,
o versejante a cismar,
procurando elementos
para mais um poema,
que será esquecido
na varanda do tempo.




14 comentários:

  1. Boa tarde amigo Dilmar,
    Teu poema
    encontrou todos os rumos.
    achou poesia, aconchegou a "varanda do tempo"
    No teu momento, no teu poético.
    E nos olhos fãs de quem te lê...

    Abraço✿

    ResponderEliminar
  2. Muito bonito, amigo Dilmar!
    E gostei do conselho de Hemingway, a escrita deve ser simples, sem adornos e fricotes! E nosso Mário Quintana dizia: como é difícil escrever fácil!!
    Abraços gaúchos, nesse clima meio louco...mas que gaúcho entende!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, obrigado pela visita. Pois é, Quintana sabia das coisas. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  3. Meu bom amigo e poeta Dilmar, cá estou envolvido com mais um teu poema, tenho O velho e o Mar, e tou sempre relendo, é simples, mas é belo e envolvente...como teu poema que acabo de ler e me ver também tentando construir, entre palavras e inspirações, que possivelmente serão esquecidas dentro de um livro, ou se perderá no infinito internético. Sempre muito bom estar por aqui.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro e bom amigo Jair Machado, obrigado pelo carinho de sempre. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  4. Acróstico

    Vão suaves os passos daquela menina
    Assim, a desfilar na pose que domina
    Real modelo top, definitivamente
    Até sem contar o doce sorriso ardente.

    Nossa, vejam aqueles sedosos cabelos!
    Dessa maneira, como eu deveria tê-los
    A verdadeira moldura prum belo rosto
    De brilho durante o dia, e quando o sol posto.

    O que esta gata sabe: beleza não dura
    Tempo constrói feia velhice que tortura
    E cabelos quebradiços que formam bando.

    Mais dores musculares que vão espalhando
    Portanto incapacitam qualquer ensejo
    Os joelhos completamente sem molejo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Jair Lopes, obrigado pelo acróstico. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  6. Palavras simples chegam mais facilmente ao coração de todos, tal como este belo poema.
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Maria, obrigado pela visita. Um abração daqui do sul . Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  7. No quintal um jardim colorido,
    um poema, escrito pelo poeta,
    na varanda do tempo esquecido,
    a rosa desabrochando à janela!

    Tenha uma boa noite caro amigo poeta Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  8. Caro amigo poeta Eduardo, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar
  9. Bom dia, amigo Dilmar,
    relembrar uma bela varanda, observar as flores e relembrar a vida que foi.....A varanda do tempo, nos faz esquecer, mas quem sabe nos faça lembrar.... Grande abraço!

    ResponderEliminar