sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

TIRO O CHAPÉU E VEJO DRUMMOND NAS ALTURAS

Outro dia, um camarada
entre a graça e o chiste
disse-me umas coisas
pensando quem sabe
que eu fosse me aborrecer.
Mas o cara é meu amigo,
portanto achei engraçado
a ironia daquele instante
ao dizer que eu não cabia
na "Política Literária"
do velho Drummond.

Política literária

Carlos Drummond de  Andrade

O poeta municipal
Discute com o poeta estadual
Qual deles é capaz de bater o poeta federal.


Não fiques preocupado, caro amigo,
porque não sou poeta distrital;
vivo na província, também não sou
nem poeta  do  meu bairro
nem da minha rua.
Eu apenas poetizo
lampejos de momentos.







17 comentários:

  1. Acróstico

    Dizer-se bardo de lampejos de momentos
    Indica a modéstia desse eclético vate
    Longe de modas, em Érato tem assento
    Mesmo porque vai lutando seu bom combate
    Ainda que, muitas vezes, pregue só ao vento
    Ressoa bem aquilo que Dilmar retrate.

    Gostamos da liberdade do verso branco
    Onde Dilmar, livremente todos cutuca
    Muitas vezes o faz de viés, pelo flanco
    E, talvez, com sutileza de uma bazuca
    Sem a qual nossa mente só pega no tranco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Jair, obrigado pelo acróstico. Um abraço. Tenhas um bom dia.

      Eliminar
  2. Cuidado com as alturas pois então,
    deve ter todo aquele que alto sobe
    só para ele querendo agarrar o céu
    se cair do último degrau do escadote
    mais doloroso será o embate no chão
    do esqueleto e da cabeça sem chapéu!

    Tenha uma boa tarde caro amigo poeta Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  3. Como sempre, gosto de o ler!

    Tenha um bom Carnaval-beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Cidália, obrigado pelo carinho. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  4. Boa tarde, Dilmar,
    parece-me que você não está nem um pouco interessado em fazer parte da Política Literária de Drummond, mesmo porque você já possui a sua.
    Parabéns pelo texto!Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Marli, obrigado pelo carinho. Um abração. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  5. Boa noite Dilmar.
    Meu amigo um bom poeta e sabe manter a conduta, sem brigas nem aceitar atritos. Um feliz final de semana. Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Mirtes, obrigado pelo carinho. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  6. Sabe, Dilmar, a primeira coisa que as pessoas fazem diante desse 'desconforto' que sentem, é arrumar um jeito para comparações! Nada deve ser comparado, cada um com seu estilo, com sua consciência, com sua escrita, ideias etc. Por que não gostar de vários poetas, cada um com suas qualidades? Seríamos todos bem mais felizes, mais amigos, mais solidários. Mas são coisas da vida, entendo...

    Abraço, amigo!

    ResponderEliminar
  7. Perfeito, cara amiga Taís. Obrigado pelo comentário. Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  8. Obrigado, amigo Fernando. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa semana.

    ResponderEliminar
  9. Sabe meu amigo do Sul?
    sua poesia sai da essência escorre para as pontas dos dedos e veste o mundo com olhar que cada um sabe fitar.
    Uns são cegos mesmo tendo visão. Porque muitas vezes há um véu que não deixa perceber os detalhes. Muitas vezes quando o tempo se faz poesia, e molha a terra com amor.
    Há aqueles que não entendem e não sabem ver que o poeta maior escreveu na terra. Beijo poeta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do sul, sim, cara amiga Fernanda. Mais precisamente de Porto Alegre, RS. Obrigado pelo carinho. Um abração. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  10. Cada um em seu espaço, versando sobre a vida, fantasiando, reinventando e até ressignificando a mesma vida. Importante é ser poeta, mesmo quando alguns não entendem, nos criticam, nos são indiferentes. Eles também não enxergam que são minoria (espero rs), mas também inspiram poesia. Um beijo super carinhoso daqui, desse meu Nordeste amado, lindo e, desde ontem com esse tempo inspirador, porque, felizmente chove! Fica em paz, Dilmar!

    ResponderEliminar