terça-feira, 28 de março de 2017

BRIC-A-BRAC

Trabalho no comércio informal
e atuo no departamento autônomo
de compra e venda sem registro.
Não forneço nota fiscal e quejandos,
sem riscos para as partes envolvidas,
porque a garantia do nosso negócio
reside no peso da palavra empenhada.
Eis alguns itens do nosso cardápio:
Compro prata, cabelo e pele de gato.
Vendo barba postiça e perucas usadas
Compro perdidos, achados e dente de ouro.
Vendo dicas, palpites e promessas
Compro contas inativas do FGTS.
Vendo as rotas do mapa da mina.
Compro  números de bilhetes premiados
Vendo segredos das civilizações perdidas.
Compro a bíblia do enriquecimento fácil.
Vendo guia prático de sobrevivência na lua.
Compro ações dos operadores do petrolão.
Vendo manual iniciático do ramo da propina.
Compro compêndios de emagrecimento sem dieta.
Vendo oráculos das pitonisas de Delfos (Brasília)

Aviso aos navegantes: quando formos razoavelmente evoluídos, os
procedimentos aqui elencados não serão compatíveis com a  nossa conduta.

20 comentários:

  1. Acróstico

    Bem colocado, meu caro amigo Dilmar
    Resgates desses jeitinhos ditos espúrios
    Invertem a sabedoria milenar
    Contudo, tu fizeste perfeitos augúrios.

    Assim é nossa vida, diriam os cínicos

    Basta que bailemos essa grotesca dança
    Rindo do probo mas votando no macabro
    Assim, o mundo no precipício se lança
    Conscientes, apoiamos o descalabro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Jair, obrigado pelo acróstico. Um abração. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  2. Bravo! Eu andava com muita saudade de tua poesia, Dilmar! Muita! Deixo-lhe aqui um abraço bem forte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Zélia, obrigado pelo carinho de sempre. Um abração daqui do sul. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  3. Com todas essas negociatas,
    os lucros devem ser fabulosos
    bem atafulhados terá os bolsos
    das muitas contas não declaradas
    que é para se esquivar aos impostos!

    Tenha uma boa tarde caro amigo poeta Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  4. OI DILMAR!
    TENS RAZÃO, O MOMENTO É DE VERDADEIRAS NEGOCIATAS, FALTA DE CULTURA, VERGONHA E OUTRAS COISAS MAIS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Zilani, obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  5. Muito bem colocado aqui em versos as negociatas, pois é bem assim, enfim...
    Temas do momento, não se pode fugir disso nesses tempos tenebrosos, caímos em cada armadilha se não nos colocarmos em alerta a cada instante, pois aqui, ah, tudo dizem ser "válido"!
    Abraços amigo Dilmar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Ivone, obrigado pela visita. Um abraço daqui do sul. Tenhas, sei que terás, uma linda semana.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Cara amiga Cidália, obrigada pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  7. He he he!
    Vamos por aí...
    abraço, amigo.
    Estou voltando...
    Te espero no meu cantinho!

    ResponderEliminar
  8. rssss, como boa brasileira, fui descendo a lista das ofertas (maravilhosas) para escolher uma! Mas resolvi comprar todo o pacote, e online!!! Deve ter desconto...
    Muito bom, dei boas risadas porque nada tão exato!
    Abraço, Dilmar, não sei como você foi catar coisa tão fiel. rss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Tais, em determinados momentos, somos tentados às pilhérias, só para enxotar a sisudez. Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  9. Pois é. E eu me pergunto: quando será isso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, cara amiga Ana, quando será? Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  10. Texto perfeito, tendo em vista o que fazem conosco. Oh, tristeza, ver esses homens praticarem tudo que praticam sem o menor pudor, sem o menor constrangimento!
    Boa noite, Dilmar!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. quando os incêndios ignoram a ameaça....


    (até quando!?)

    ResponderEliminar