sábado, 11 de dezembro de 2010

O TIRO NO PÉ

Nosso Imperador
acordou assustado,
sob um pesadelo,
dentro da noite.

Ele ficou se perguntando
em meio à angústia:
Senhora Providência,
por que isso agora?
Fosse no tempo das turbulências,
va lá!
Naquela época da boataria,
quando a imprensa mirava,
com artilharia pesada,
minha cabeça de para-raios,
eu passei incólume;
mas hoje quando já antegozava
a tranquilidade proveniente
do dever cumprindo;
no momento em que sou
unanimidade nacional,
às vésperas de passar o bastão
à minha herdeira,
os urubus descem sobre o meu sono.

Meu Deus,
por que eu sancionei
aquele projeto da saúde
prejudicial à minha pele
e à epiderme dos meus comparsas?

Meu pai de santo,
onde é que eu estava com a cabeça
quando engoli aquela História da Carochinha:
Lei 999999 - "Politicos ou ex, de cargos executivos, ficam obrigados
a usar somente o Sistema Unico de Saude, ficando vedado à casta
qualquer outra modalidade de tratamento".

Meu Anjo da Guarda,
como vou me virar,
no caso de doença
tendo que usar
aquela porcaria de Sus?

Por que, eu, tolo velho,
aprovei aquela draga?
Os velhacos do Congresso
me ingrupiram,
bolaram esse projento
pensando que eu não o aprovaria,
então, eu como bode expiatório
perderia o respaldo do povo,
conquistado nesses anos todos,
no entanto, eu não embarquei na canoa furada,
mas dei um tiro no meu próprio pé!

Depois de tantas conjecturas,
o homem tentou dormir novamente,
mas não conseguiu.
Então, chamou a vassalagem e ordenou:
"Suas antas, juntem tudo que puderem
e preparem as minhas malas,
porque eu vou acabar com esta palhaçada agora mesmo:
vou picar a mula!

10 comentários:

  1. rsrsr ó, Dilmar, eu vi nessa tua obra quase que a consciência de políticos e políticos por aí (se é que eles tem mesmo alguma consciência né?).
    Dá-me as vezes a impressão de que as coisas sempre foram assim e nunca vão deixar de ser...Infelizmente!
    Amei teu blog, passo a seguir-te!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, amiga Janaina. Seja bem-vinda ao meu cantinho.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  3. Oi querido amigo, saudades de vir te ler...

    B-Jos.

    =)

    ResponderEliminar
  4. Obrigado amiga, pela visita.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  5. Dilmar,

    Há quem diga que o poder corrompe o humano. Será? Um amigo sempre diz que o poder não corrompe apenas revela.

    Bom passear por aqui, estava com saudades.

    Beijos,

    ResponderEliminar
  6. Amiga Savia, obrigado pela visita
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  7. Amiga Anna, obrigado pela visita. O seu comentário está correto; só é corrompido quem trás dentro de si germes viciosos, adormecidos.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  8. Os seus textos que considero de intervenção e participação social, têm sempre algo de diferente e especial.


    Obrigada!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  9. Dilmar, obrigada pela visita e comentário, que me deram a oportunidade de vir aqui, te conhecer. Gostei da sua linguagem, bem singular, do conteúdo político, do humor, td mt bom por aqui.
    Parabéns!

    Bj e até

    ResponderEliminar