quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O SALARIO NOSSO DE CADA DIA

Sabemos que os salários
dos trabalhadores no Brasil
não são os melhores do mundo
aliás, muito antes pelo contrário.

Queremos a paga
justa e necessária
a cada categoria
de tal modo que a balança não penda,
sobremaneira, para nenhum lado.

Difícil saber
se o patrão pode pagar o justo
porque o trabalhador conhece
de quanto necessita.

Os críticos econômicos afirmam
que o salário da massa trabalhadora
está atrelado às leis de mercado
da economia globalizada,
e, que no fundo, depende do binomio
oferta e procura.

Houve um tempo
em que os candidatos à presidência da república
prometiam nas campanhas eleitoreiras
uma majoração substancial
no piso do salario mínimo,
entretanto, depois de eleitos
esqueciam das promessas.

Os deputados, senadores e vereadores
já não debatem mais sobre essa tema,
hoje, legislam em causa própria,
senão vejamos o presente de natal
que os deputados federais se deram
na sessão mais tranquila da câmara:
a aprovação inconteste de 66 por cento
sobre próprios salários.

Os deputados estaduais gauchos
para não ficarem fora de moda
numa sessão de poucos minutos
aprovaram 70 por cento
no salário da bancada..

Depois desses canetaços
não é de se duvidar
que os distintos vereadores
das nossas cidades
venham a retirar das suas cartolas
cem por cento de aumento
em prol da classe.

Eta politicazinha...

2 comentários:

  1. Bravo, Dilmar!
    Bravo!
    Sua poesia, além de bela, é necessária, indispensável...
    Gosto da sua coragem, da forma como enfrenta essas questões que tanto nos revoltam!
    Concordo plenamente com você: só legislam em causa própria.
    É uma vergonha o que se vê neste país!
    Que bonita democracia temos nós! Ai...
    Grande abraço, meu amigo, grande poeta!

    ResponderEliminar
  2. Política não deveria ser profissão.
    Cada pessoa teria 4 ou 5 mandatos e fim.
    Janice.

    ResponderEliminar