sexta-feira, 31 de outubro de 2014

A FEIRA

Crescemos praticamente
juntos, mas não lembro
da tua vinda ao mundo,
por que naquela época
eu tinha três anos.
Foi amor à primeira vista,
tenho certeza, e a minha paixão
continua irremovível.
Acho que nada nesta vida
fará romper os elos
que me ligam a tua existência.
Diferentemente de mim,
que já sinto na epiderme
a gravidade do tempo
tu continuas jovem,
jovem e moderna,
dinâmica e atemporal...
Lembro com saudade
e emoção dos teus aniversários,
sobretudo das datas retas.
Ah, os teus 20, 30, 40, 50 anos...
Entretanto, todos os anos
estou sempre presente, quando
tu reapareces na praça
encantadora e juvenil;
 jovem sexagenária,
 Feira do Livro
de Porto Alegre.


16 comentários:

  1. Que forma incrível de se remeter à feira. No início do poema dá a impressão de vc falar de uma pessoa. Lindo! Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma semana de muita paz.

      Eliminar
  2. Boa tarde Dilmar

    Belo texto, adorei

    Tenha um bom fim de semana.

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  3. Lindo demais, amei esse poema, me surpreendeu, embora ao dizer que tinhas só três anos e a referência continuava jovem!
    Meu amigo, também tive intimidade com os livros, mas a feira, nossa, deve ser mesmo maravilhosa, poder se perder entre tantos, ainda, assim como você, não me deixo ficar longe de nenhum deles, livros, meu passatempo predileto, de fato é um grande prazer ler, isso é hábito, quando se acostuma não deixa jamais!
    Abraços apertados, amigo poeta criativo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, sabes aquele adágio da corda e caçamba? Pois é. Claro que a Feira não sabe que eu existo, entretanto, apesar de todo esse tempo, ainda continuo fissurado pelo evento. Todos os anos, à medida que outubro vai passando, começo a contar os dias, ansioso, esperando a última sexta-feira, dia da abertura, pois a nossa feira, começa sempre na última sexta-feira de outubro e encerra no 3º domingo de novembro.
      Um abração. Tenhas, sei que terás, uma linda semana.

      Eliminar
  4. Dilmar,
    Claro que não tanto como você, eu também frequentei e ainda frequento a Feira do Livro da Praça da Alfândega de PA. Conheci o a feira na sua quadragésima primeira edição e também me apaixonei. Sou frequentador de feiras de livro e garanto para você que melhor que essa feira de PA, só a bienal de São Paulo. Preciso que você me envie seu Email para meu endereço: oveque@hotmail.com
    Abaixo, um soneto-acróstico meio forçado: FEIRA DOS LIVROS.

    Soneto-acróstico Livros

    Flanando em Porto Alegre na Praça
    Eu encontro uma espécie de paraíso
    Impossível pois ignorar como grassa
    Repleta de livros me trouxe o sorriso.

    Andei fissurado por entre as bancas
    Deleitei-me e comprei uma biblioteca
    Onde existe livros a vontade é franca
    Saltar sobre, adquirir até ficar careca.

    Livros comprei em anos posteriores
    Inventário que me deixou muito feliz
    Voltei e voltarei a eles meus amores.

    Rio as gargalhadas com sempre quis
    O Feira de Livros vou para onde fores
    Sou o leitor compulsório como se diz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é amigo Jair, conheço poucas feiras, porém sou apaixonado pela feira da Praça da Alfândega. Ainda não tive a oportunidade de conhecer a Bienal, mas ela continua nos meus planos de visitação, ainda irei visitá-la, se Deus permitir, é claro. Houve feiras, na minha juventude, em que passava todos os dias pela praça, ainda que fosse apenas para olhar os livros nos estandes, aqui nós dizemos barracas. Era no tempo em que a feira era mais tranquila, porque havia menos gente por lá; ao contrário de hoje, quando é visitada por pessoas do interior do estado, de outros estados e até do exterior
      Havia no passado, um programa sobre livros e literatura na Rádio Guaíba, em que o apresentador daquele programa dizia por ocasião da feira: "Agora nós vamos entrar no palácio da cultura, no templo do saber; na Feira do Livro na Praça da Alfândega".
      Para nós que vivemos aqui nesta cidade ou na região metropolitana, e amamos os livros, a feira é um espetáculo imperdível.
      Obrigado pelo soneto-acróstico. Um abração. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  5. Boa tarde Dilmar.
    Uma postagem que nós mostra a importância de uma leitura, também amo ler. Feira de livro nunca fui, deve ser algo bastante interessante. Como comentei no meu blog, não estarei retribuindo visita por uns dias, vou mudar a minha vida, mudar o que precisa ser mudado,mas assim que as coisas se ajeitarem por aqui estarei meu amigo com um grande prazer, vim lhe agradecer pela sua gentileza e desejar um feliz novembro.
    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Mirtes, obrigado pela visita. Obrigado pelo carinho. Tenho certeza de que tuas questões serão resolvidas com sucesso, que brevemente tu estarás de volta à blogsfera.
      Um abraço. Tenhas uma semana abençoada.

      Eliminar
  6. A feira é um negócio!
    bem à maneira portuguesa
    não acaba aqui o imbróglio
    continua a politiqueira.

    No Brasil continuará a feira,
    talvez, com outra paixões
    também à sua maneira
    lá terão as suas razões!

    Um abraço amigo Dilmar,
    tenhas também uma boa semana,
    com saúde, paz, amor e muita alegria.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Eduardo, obrigado pela visita poética de além-mar. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  7. Dilmar meu amigo que lindo seu texto, retrata bem o amor que temos pelos livros e a sua real importância que faz em nossas vidas. Sempre vou a Bienal do Livro, em agosto passado fui estava super lotado como sempre, quando posso,é sempre um evento que não perco por nada. Gosto muito de ir nas feiras de livros, é o melhor momento para ter contato com novos autores e livros que nunca tinha ouvido falar, e sempre encontro obras inéditas. Excelente sua criatividade, pois tive uma bela surpresa ao final. Boa semana amigo e aos seus familiares.

    ResponderEliminar
  8. Queria amiga Josy, minha esposa também teve uma surpresa, mas ao início dos versos, pois disse-me que ficou pensando que pessoa seria essa, menos mal que ao chegar na linha dos anos 20,30, 40 , 50, conseguiu matar a charada; ah, e a Feira, pois ela conhece a minha paixão pela feira. Pois é amiga, as feiras de livros são privilégios para nós, amantes do livros.
    Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma ótima semana, com chuva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dilmar,
      Gostaria de enviar um livro meu para você. Para isso, necessito de teu endereço postal. JAIR.

      Eliminar
    2. Querido amigo, entrarei no teu e-mail agora.
      Muito obrigado.

      Eliminar