sexta-feira, 21 de novembro de 2014

AS ESTÓRIAS DAQUELE TIO

Quando eu era criança encantava-me
as histórias que o nosso vizinho contava.
Relatos brilhantes à luz da minha insapiência
recontados a pedido da plateia atenta
e saboreados pela imaginação prenhe de curiosidades...
Os vocábulos deslizavam redondos pelos lábios
daquele contador de peripécias improváveis.
De tempos em tempos o artista fechava a casa
e desaparecia pelo mundo a buscar
novas aventuras para o nosso deleite
Ao fim da adolescência tivemos a certeza
de que aquele cara tinha uma missão específica :
que viera ao mundo com o fito de fantasiar
os verdes anos da nossa geração,
porque um  dia nos disse meio sem graça
que nascera, crescera, mas nunca saíra da  cidade,
que quando mentia que estava em recreio pelo mundo,
ficava trancado em sua modesta casa,
criando as histórias que nos contava.


22 comentários:

  1. Soneto-acróstico

    Há num esconso de nossa memória
    Incrustrado pra não esquecer jamais
    Silencioso arquivo de boas histórias
    Todas cheias de detalhes e que tais.

    Óh memorável e saudosa juventude
    Revista quando muitos os anos são
    Imaginar e voar alto era nossa virtude
    Assim como crer em assombração.

    Saudosíssimo o tio que sabia contar
    Dote supremo do que melhor havia
    Ouvir as estórias e transitar pelo ar.

    Todo guri um parente assim queria
    Inventando tanta aventura invulgar
    Ou tremer de medo quando a ouvia.

    ResponderEliminar
  2. Verdade, amigo Jair, muitas vezes a gente tremia de pavor ao ouvir histórias assombradas.
    Realmente, saudosa juventude. Tempo lindo.
    Obrigado pela visita poética, através deste bom soneto-acróstico.
    Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  3. Algumas historias não passam de tradições, lool
    Adorei o texto!

    Bom fim de semana.

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Dilmar, que lindo, é bem assim, o contador de estórias tem imaginação fértil, o mundo é pequeno para mentes assim, adorei ler, meu amigo sempre querido!
    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  5. Gostei muito, meu amigo.
    Desejo muito que se encontre bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Irene, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  6. Ler você é gratificante. Tem sempre um personagem desse entre nós, já conheci alguns...

    Deixo meu carinho por você...

    Sua amizade é aquele raio de sol
    Que entra iluminando minhas manhãs
    É aquele cheiro de chuva
    Misturado no céu perpetrando um lindo arco-íris
    Para enfeitar o meu dia
    É aquela emoção cheia de alegria
    Que contagia com sua magia
    De transformar sol e chuva em arcos-celestes
    Fazendo uma aliança entre mim e você!... Regilene

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Regilene, obrigado pela visita poética e obrigado pelo carinho.
      Um abraço. Tenhas uma linda e maravilhosa semana.

      Eliminar
  7. Olá tudo bem? Hj vim fazer um convite para
    participar do sorteio de natal que o meu blog
    Cantinho Virtual da Rita está fazendo .
    Desejo sorte participe, bjuss e bom final de semana

    Abraços

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Rita, obrigado pela visita e obrigado pelo convite.
      Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  8. a névoa do sonho....

    [eu adorava as estórias do meu pai]


    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Margoh, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  9. Bah, o tio lhe enganou e você nos enganou!
    Adorei a criação. Lembro quando pequena que meu pai adorava contar histórias em que ele era o super-herói, o capitão Nemo. No começo eu acreditava, depois eu gargalhava e acabaram-se as histórias. Mas ele se vingou nos meus filhos, contava coisas do arco! E acreditavam, a mesma roda... Era uma delícia!

    Abraços, Dilmar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Tais, o vizinho na verdade, era um meio-tio, filho bastardo do meu avô paterno, figura marcante, possuidora de uma risada estridente, muita alta. Lembro-me que muitas vezes, após o relato de uma estória( inventada por ele), ficava olhando fixo nos nossos rostos por alguns instantes, acho que para ler nossas reações faciais, para em seguida soltar aquela gargalhada fora do comum.
      Ah, tempos maravilhosos...
      Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  10. O contador de histórias tem que nascer com esse dom. Lembro-me em minha infância que minha bisavó contava histórias. Eu adorava. Sempre que ia visitá-la pedia que contasse histórias. Isso ativa nossa imaginação, nos colocamos a viver a vida dos personagens. É muito bom! Até hoje gosto de histórias. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, aquelas estórias a gente nunca as esquece. São dádivas a nos acompanhar por uma existência inteira.
      Obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um dia abençoado.

      Eliminar
  11. OI AMIGO
    Algumas historias dos pais passa para os filhos. Gostei muito.Não pense em cada olhar perdido, mas nos sorrisos que a sua felicidade pode renovar."Um começo de semana cheio de muito sucesso para vc.
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Petala. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

      Eliminar
  12. As estórias daquele tio,
    a história dos acontecimentos
    quando sopra o vento frio
    desagradáveis momentos,

    Cantava histórias esse tio,
    para animar as crianças
    era animador lá do sítio
    dele guarda lembranças!

    Boa noite amigo Dilmar, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima tarde.

      Eliminar