segunda-feira, 17 de novembro de 2014

GUERRAS

Guerras são eventos malditos
gerados por cérebros ensandecidos,
mas que  hoje  ficam do lado de fora
do campo de matança  pré-estabelecido.

Provavelmente disputa pela comida
foi a causa da primeira guerra.
Daí nasceu o gosto pela coisa
e começaram a brigar pela terra.

Depois da contenda pela gleba
quiseram  brigar pelas fêmeas
Eram  disputas de vida e morte.
Todos queriam ser machos alphas.

Há quem diga que as guerras são necessárias
para alavancar as técnicas pioneiras
de suporte à evolução material e científica
do indivíduo em marcha para o futuro.

Eu, modestamente, penso que as guerras são inúteis.
Creio que todas as disputas belicosas são insanas,
Acredito que o patrono da guerra é o egoísmo.
Creio no fim das guerras com a vinda do homem solidário.





22 comentários:

  1. Bom Dia amigo Gilmar.
    A guerra é sim mil vezes maldita todos os tipos de Guerra.
    Seja luta pela comida num mundo embora com falta da água
    nos dias de hoje.
    O celeiro estaria cheio se antes da miséria tivessem
    trabalhado para comer e viver
    um pouco mais antes , q venha os gafanhotos.
    A vida pra mim é uma guerra onde luto muito a cada dia
    por mais um dia.
    A guerra de certa forma é para todos nós.
    Gilmar deixo um abraço desejo uma excelente semana.
    Evanir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Evanir, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma semana abençoada.

      Eliminar
  2. Bom dia, amigo Dilmar.
    Este seu poema está maravilhoso, encontrou uma maneira sublime de falar da estúpida barbaridade humana.
    A humanidade não precisa de justificação para a guerra, precisa da guerra para justificar-se a si mesma. É estupidez genuína.
    E tantas hipocritamente "em nome dum deus".
    Tristes dos inocentes no meio disso, porque é preciso sorte com o lugar onde se nasce.
    abç amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Camem, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  3. Bom dia
    Gostei do seu poema
    Obrigada pelo seu carinho.

    Beijinhos e dia feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  4. Soneto-acróstico

    Grande parte da história do homem
    Unidos quase nunca os seres estão
    E as razões entre criaturas somem
    Rebenta uma guerra ou revolução.

    Racional será esse ser degenerado?
    Alguém que vê inimigo no vizinho?
    É um animal irracional e vertebrado
    Lutando por motivo vão e comezinho.

    Outra seria a existência no Planeta
    Uns aos outros dedicando afeição
    Como some a areia da ampulheta.

    Um dia talvez em grande explosão
    Reduzam a humanidade à sarjeta
    Assumindo que homens tolos são.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo poeta Jair, obrigado pela replica poética, através de soneto acróstico.
      Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  5. Guerras malditas, é verdade,
    por que não são evitadas
    tiram a vida à mocidade
    deixam mães desesperadas,

    Porque de uns a ganância,
    a outros causa a desgraça, não a sorte
    as guerras não são de sobrevivência
    são todas de destruição e morte!

    Boa noite amigo Dilmar, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima terça-feira

      Eliminar
  6. Dilmar, estou aqui lendo o seu poema. Muito sensível e inteligente. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Nidja, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda terça-feira.

      Eliminar
  7. "Há quem diga..."
    Engana-se. Só a morte tem futuro num coração em guerra.

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Lídia, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda terça-feira.

      Eliminar
  8. Bom dia Dilmar.
    Eu, concordo com cada palavra sua, as guerras são inúteis.
    São insanos, quem acha que serve para algo de bom, a não ser destruição.
    Um dia Deus dará o basta , a melhor arma da vida contra a guerra e o amor.
    Feliz são os que não se deixa atingir por esse mundo com tantas pessoas Brincando as vezes ate por algo insignificante.
    Um lindo dia de paz para todos nós.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  9. Obrigado pela visita amiga Mirtes. Um abração. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderEliminar
  10. Que poema delicioso de se ler amigo Dilmar. De fato as guerras são malditas, insanas, e totalmente frias. Parece que os conflitos que acontecem entre os países que estão em guerra não se incomodam se do outro lado existem inocentes. Acredito que enquanto o ser humano não perceber a guerra que existe dentro dele, e procurar combatê-la, essa situação não vai terminar nunca. Bjos, um lindo final de dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Josy, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  11. Dilmar, tenho a mesma crença que vc. O orgulho, o egoísmo, a sede de poder, movem as pessoas para esse desequilíbrio. Sabemos que caminhamos para um mundo melhor, onde essa barbárie ficará para trás. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  12. Bom dia, querido amigo!! Muito grata pelo comentário que fez referência ao meu (poético/Ísis Dumont) na bela página do "Vendedor de Ilusão"! Seu texto é perfeito, além de oportuno e reflexivo!! Vou postar em meu Blog! Grande beijo!!!

    ResponderEliminar
  13. Muito obrigado, amiga Aparecida. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um bom dia.

    ResponderEliminar