segunda-feira, 26 de outubro de 2015

QUE PAÍS É ESTE?

Minha esposa se chama Sheila
O nome do meu sobrinho é Michel
Meu compadre assina Alain Delon
Meu colega de trabalho é John Lennon
O fornecedor de materiais do escritório,
onde lavoro meus velhos dias,
tem o épico nome de John Waine.
A coisa não fica apenas por ai,
todo o dia ouço uma coletânea
de nomes ingleses, franceses, italianos...,
mas de gente nascida aqui na terra.
Mesmo sem intenção de praticar bullying,
pergunto:  por que tanta importação?
Temos vergonha de assumirmos o que somos?




15 comentários:

  1. Isto é uma coisa que muito acontece , o uso de nomes estrangeiros. Não sei porque...
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Élys, obrigado pela visita comentada. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  2. Valorizamos muito mais a cultura estrangeira do que a nossa própria. Penso que, para o futuro, as culturas estarão muito mais miscigenadas. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pela visita e obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas uma semana abençoada.

      Eliminar
  3. O soneto-acróstico abaixo é uma homenagem ao gari Marlon Brando que servia a minha rua. O sujeito era boa gente, mas não suportava mais as gozações dos seus colegas de trabalho.

    Vida longa Marlon!

    Mas porque o gari constrangido estava,
    Apenas por ouvir o seu nome chamado?
    Realmente sem saber o que se passava
    Logrei aproximar-me e ficar ao seu lado.

    O que o tornou uma pessoa meio brava
    No entanto sobre seu nome ficava calado:
    Brando seguia Marlon e ele não gostava
    Reverter queria nome que lhe fora dado.

    Assim anelava ter um nome tupiniquim
    Nada desse estrangeirismo tão babaca
    Daria seu braço por um nome chinfrim.

    Ora, serviria até nome de meia pataca
    Conquanto não mais manguem de mim!
    Álacre, Marlon Brando seu nome ataca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Jair, por vezes parece que estamos no estrangeiro , pois no futebol, no jornal, na rua, só dá nome de gringo.
      Obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  4. Pois.. belo texto.. mas olhe que isso está espalhado por tudo o mundo!

    Beijinhos e um dia feliz
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amig Cidália, obrigado pela vistia de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  5. Amigo Dilmar, isso deve ser porque no Brasil há uma grande miscigenação de raças e nomes são consequências.
    Não tenho vergonha de ser brasileira, amo o meu País, os nomes não têm nada a ver em minha opinião.
    Abraços meu amigo Dilmar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, obrigado pela visita. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas, sei que terás, uma linda semana.

      Eliminar
  6. ...e eu, tua amiga de blog, me chamo Ania (nome russo) rsrsrs...é de se pensar realmente o porque disso! Ficou ótimo teu poema, Dilmar! abraços, ania..

    ResponderEliminar
  7. Ania, obrigado pela tua contribuição. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderEliminar
  8. Que país é esse, maravilhoso Brasil,
    toda a minha vida, tenho ouvido dizer
    tem gente boa e um clima primaveril
    não conheço, mas gostava de conhecer!

    Tenha uma boa tarde amigo Dilmar, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  9. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita de além-mar. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas um ótimo dia.

    ResponderEliminar
  10. É que os brasileiros acham muito chique as coisas de fora, principalmente dos Estados Unidos. A razão ainda não descobri. Não se deram conta que o chique são as atitudes de pessoas educadas e não os nomes. Se fosse assim seríamos o povo de mais classe do mundo, pois o que tem de estrangeirismo nessa terra não é moleza... É piada!
    Grande abraço, amigo Dilmar!
    Adorei.

    ResponderEliminar