segunda-feira, 28 de março de 2016

O TEMPO

Este ser invisível, o tempo,
vai passando
e a gente rodando com ele.
Não vemos o rosto do tempo
se transformar em outro
como acontece conosco...

Às vezes fico pensando,
que o tempo é uma ficção,
que a nossa vida é mensurada
através das lacunas do espaço.
Acho  que o tempo transcende
a imaginação dos poetas.

13 comentários:

  1. Vemos o tempo passar em nossos rostos ...
    Para os poetas a poesia não tem limites;
    E aja imaginação...
    Boa semana.
    Abraços
    janicce.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janice, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  2. Vemos o tempo passar em nossos rostos ...
    Para os poetas a poesia não tem limites;
    E aja imaginação...
    Boa semana.
    Abraços
    janicce.

    ResponderEliminar
  3. O Tempo

    Obtuso e arrogante segue em frente
    Tem pelos seres apenas indiferença
    Ele é supremo e nada sabe de gente
    Mas desprezando-nos, sem ofensa.

    Porque o homem se julga inteligente
    Opina-se de uma relevância imensa
    Tentando fazer do tempo seu cliente
    E ri dele o tempo, pelo que ele pensa.

    Mero ente bípede que pelo solo anda
    Todo homo acha que tempo escraviza
    E sequer percebe que o tempo manda.

    Mesmo sabendo que tempo não avisa
    Persiste achando que tempo demanda
    O que leva a, no final, colher só brisa.

    ResponderEliminar
  4. O Tempo

    O tempo não é amanhã, nem ontem, é agora
    Tempo não se conta, se vive apenas na hora
    Se você conta ou marca, ele nem sequer liga
    É mero passatempo, muito menos que intriga.

    Tempo é tal como quem não tem algum senão
    Já que pra ele nossa existência é apenas areia
    Que escoa sem jamais terminar por ser turrão
    Enquanto na vida, a ceifadeira o tempo semeia.

    Dizem pois que o tempo não liga se você gosta
    Enquanto existir, não chame o tempo, ele vem
    E pensar na eternidade nunca será boa aposta.

    Oportunidade é coisa rara, não seja dela refém
    E pouco interessa perguntar sem uma resposta
    Pois, no fim, sabemos que não somos ninguém.

    ResponderEliminar
  5. O Tempo

    O que fazer se esta entidade absoluta
    Tem sobre homens tal predominância
    Em que nos domina esse filho da puta
    Mostrando-nos nossa desimportância?

    Pode o tal tempo vencer-nos sem luta
    Obliterando-nos em qualquer instância
    De maneira tal que ele não nos escuta
    Em sua total e permanente ignorância.

    Se o tempo quiser, nos abaixa a crista
    Morte das coisas está em sua agenda
    Apaga seu lume ainda que você insista.

    Nada resiste ao tempo, não há emenda
    Dado que o tempo é completo egoísta
    Assim não existirá amarra que o prenda.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. O Tempo


    Porque o tempo é arrogante e impessoal
    Assim, a ele nunca importa se tudo passa
    Somos apenas meros passageiros afinal
    Se aqui estamos, depois viramos fumaça.

    Algum dia a nossa existência chega ao fim
    Goste-se ou não, vítima da inexorabilidade
    E adaptado ou não tanto, terá que ser assim
    Indiscutível que o tempo é a única verdade.

    Relativo é o tempo, quer a física convencer
    Outra porém a nossa percepção entretanto
    Se pouco tempo temos para o nosso lazer
    Devagar ele passa se houver lida um quanto.

    Ontem éramos jovens e tempo era eterno
    Talvez pouco notássemos a sua voragem
    E não nos percebíamos a ele subalternos
    Mesmo porque a existência é uma viagem.

    Porém agora sei que o tempo não governo
    Objeto do tempo, sou somente sua imagem.

    ResponderEliminar
  8. O Tempo

    O tempo é voraz, nos come a saúde
    E a vida dos seres lentamente devora
    Arranca-nos o ânimo mas nunca ilude
    Desgasta a vida e nos manda embora.

    Tempo é carrasco e não há que mude
    E ao vasto mundo oferece aqui e agora
    Aproveitar o melhor da nossa juventude
    Porquanto a morte virá a qualquer hora.

    Ah, não devemos com o tempo brigar
    Sob risco de sermos devorados assaz
    Porque o tempo aqui veio pra espaldar.

    Leva beleza, porquanto sabe o que faz
    Não tem contemplação e causa pesar
    Sempiterno e nossa pobre vida é fugaz.

    ResponderEliminar
  9. Dilmar,
    Você, com sua verve tão específica e nobre, tocou no meu tema predileto. Então peço desculpas pela enxurrada disléxica.

    ResponderEliminar
  10. Acróstico

    Onde força transcendental impera
    Tem laivos de realidade e quimera
    E ao Homo nada dá e nada espera
    Mais intransigente, jamais houvera
    Pois o tempo tem sua justa esfera
    O que a ele não se adequa, já era.

    ResponderEliminar
  11. OTempo é o aqui e agora, nossa mente imagina e assim existe a sensação que o tempo passou.
    Um abraço

    ResponderEliminar