sexta-feira, 16 de setembro de 2016

A PRAXIS

A ferramenta de trabalho
do caçador de votos
se expressa no macro
haja vista o discurso
de uma raposa mineira,
Sua Excelência, JK:
"farei o país avançar
50 anos em cinco"
O cara até fez pirotecnia
para inglês ver:
Brasília foi construída
a toque de caixa.
Os tijolos usados nos prédios
foram conduzidos de avião.
São patentes registradas
do grupo corporativista.
Já gostei da fase
de captação de votos.
Era uma época de sonho,
de céu limpo,
das questões solucionadas
no discurso...
Mesmo que saibamos
que não há solução
a curto prazo para
as mazelas brazilis
por vezes damos ouvidos
a fanfarronices tipo:
"tenho a solução
para a segurança"!
"tenho a solução
para a saúde"!
"vou caçar os corruptos"
ou então,
"somos um partido novo
que governará diferente
porque somos povo",
Enfim, palavras vazias
jogadas ao vento.

7 comentários:

  1. "Palavras vazias jogadas ao vento", sendo assim não darei meu voto para ninguém, decepção na política, esses políticos nunca levam nada a sério!
    O resto já sabemos, então meu amigo, bem colocados os versos nesse poema/texto, que bem sabes fazer!
    Abraços bem apertados!

    ResponderEliminar
  2. Acróstico

    Realmente, discurso já não engana
    Apenas nos permite, tristes lamentar
    Porque, diz-se, poder de nós emana
    O qual, é outra forma de patranhar
    Só, do candidado, mais uma banana
    As frases jogadas ao vento a flutuar
    Sem nexo causal, de cunho popular.

    As raposas felpudas aí na praça
    Soltas, vão dizendo nada com nada
    Têm discursos até com certa graça
    Ultimam pois, atmosfera dourada
    Tudo de bom no seu futuro grassa
    Assim como maná e até manada
    Sem prevenir aí nenhuma desgraça.

    ResponderEliminar
  3. Sempre com belos textos em poemas!

    Beijinhos
    Bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Esse seu longo reportório,
    que eu tanto gostei de ler
    não vou falar em pandemónio
    coisa ruim é para esquecer!

    Os alicerces dessa cidade,
    mal colocados terão sido
    aproveitando da liberdade
    quem mais mente é o político!

    Enche os bolsos bem cheios,
    à canto de quem trabalha
    mete as mãos outros recheios
    de enganar o povo não se farta!

    Bom fim de semana, amigo Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. Palavras vazias que já estamos fartos. Queremos atitude. Muita paz!

    ResponderEliminar
  6. Enfim, palavras vazias
    jogadas ao vento.

    Só esse final já diz tudo sobre o que de
    bom escreve elogios meu querido amigo

    Bom final de semana
    Rita

    ResponderEliminar
  7. Meu amigo Dilmar, infelizmente já estamos escutando o mesmo trolóló, tudo igual! Nada de novidade no front!! Faz 100 anos que estou esperando pelo país do futuro! Poema na 'mosca'...
    Abraços primaveris!

    ResponderEliminar