quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

BOM DIA

Pois ora,
eis-me de volta.
Não viajei,
não cacei
nem pesquei.
Não adoeci,
nem fui detido
pela Lava Jato.
Estive ausente
porque catava
subsídios
para compor
este poema.
Mas as palavras
escapavam-me
entre os dedos...
Então,
escrevi frases
fáceis, curtinhas,
para não me apresentar
de mãos vazias
diante dos convidados.


12 comentários:

  1. Acróstico

    Bom dia, poeta atento
    O que dizes sempre vale
    Mas quando te vemos lento
    Deixa que leitor se cale
    Inquieto com esse evento
    Ainda que não se abale.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro poeta Jair, obrigado pelas palavras afetuosas e amigas. Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  2. BOM DIA! Ficou ótimo, a poesia está nos sentimentos e nas idéias. E a carga forte está nas palavras. Muitas vezes dá um branco, um apagão geral na frente da tela... e pensamos: e agora?? Nunca mais? Mas tudo volta.

    Grande abraço, amigo Dilmar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, penso que a simplicidade é a mola mestra desta existência, pois sempre que procuremos simplificar, sem sermos simplistas ou simplórios, damos um passo em alguma direção além do vazio. Na escrita, quando surgem os apagões, melhor não ficarmos muito preocupados, mas procurarmos recomeçar, de leve, de forma natural, sem forçar a barra, que as ideias acabam voltando. Um abração. Tenhas uma boa tarde.

      Eliminar
  3. Boa tarde, ah, meu amigo Dilmar, tem vez que penso que não terei nenhuma inspiração, mas algo me 'cutuca", me faz voltar e nem sei como as palavras aparecem, isso é nato em quem não consegue ficar sem escrever, ler, pensar né mesmo?
    Amei, está tudo muito bem e no sentido real, a mensagem chegou e nem por um instante se apresentou "de mãos vazias"!
    Abraços apertados meu amigo, deixo aqui meus votos de Feliz Natal e Ano Novo junto aos seus entes queridos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Ivone, verdade, por vezes pensamos que nossas ideias entraram em férias por tempo indeterminado, mas, de repente, como você diz com propriedade, algo cutuca, e voltamos a dar vazão aos nossos pensamentos. Obrigado pelo carinho. Um abração. Tenhas uma linda tarde.

      Eliminar
  4. Valente poeta,
    assim é que se escreve
    está de volta lá da festa
    não importa onde esteve.

    Não foi apanhado,
    à Lava Jato se furtou
    de lá voltou animado
    a sorrir aqui chegou!

    Não foi à pesca,
    também não foi caçar
    por não ter pressa
    é que foi e veio devagar?

    Tenha uma boa tarde caro amigo poeta Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética de além-mar. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima tarde.

      Eliminar
  5. Caro amigo, sinto-me lisonjeado em ser um convidado (penetra rs) no teu blog e tenho a sorte de catar estas frases curtinhas e ler um doce e comovente post, que luta, se impõe e se torna um belo poema, obrigado.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu bom amigo Jair, obrigado por vosso apreço. Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

      Eliminar
  6. Uau!! Mas olhe que, se apresentou de mãos cheias!! Maravilhoso, soberbo poema!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Curtinhas ou não, sempre inspiradíssimas. Vc fala da realidade de forma tão natural. Maestro das palavras. Muita paz!

    ResponderEliminar