sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

DEPOIS É TARDE

A natureza nos proporciona amiúde
momentos específicos grandiosos,
entretanto em diversas oportunidades
os mesmos passam-nos despercebidos,
porque  distraídos em outros misteres
perdemos espetáculos imperdíveis
sob a justificativa de que estávamos
pressionados por eventos cotidianos:
a fila interminável de acesso
aos guichês das casas lotéricas,
que embaralham aquela fezinha
nos jogos de azar permitidos;
É o programa esportivo, no canal fechado,
informando a provável escalação do time
para a rodada de domingo
A nossa atenção concentrada na  noticia
postada no site de variedades e fuxicos,
falando sobre o implante de unha no pé da atriz,
estrela móvel, da novela da grade  global...
Depois, no dia seguinte, ficamos sabendo,
que um arco-íris no céu, querendo nos ver,
aborrecido e cansado com a nossa ausência,
recolheu as cores e partiu para outro planeta.






23 comentários:

  1. Soneto-acróstico
    Ver

    Vida expressa que rapidamente passa
    Em que tudo parece máxima prioridade
    Não temos tempo, existência é escassa
    Deixa prá lá! não tenho disponibilidade!

    O arco íris como a verdadeira aquarela
    Observando-nos lá do alto, desiludido
    Aqui eu nesta cidade ou talvez naquela
    Reluzindo sem reconhecimento devido!

    Como as melhores coisas são de graça
    O ser humano não lhes dá devido valor
    Indiferente à beleza que no céu se passa.

    Realmente, talvez falte-nos certo ardor
    Incapazes de desfazer nossa couraça
    Sem a qual veremos o arco-íris e a flor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo poeta Jair, realmente, as melhores coisas, as gratuitas, deixamos passar. Obrigado pela visita. Tenhas um ótimo fim de semana.

      Eliminar
  2. Lindo! Tanta coisa boa que passa despercebida :) Gostei muito

    Beijo, bom fim de semana.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  3. E desta forma triste vamos vivendo, meu querido poeta e amigo Dilmar, não percebemos o nascer do Sol e nem seu pôr, perdemos a flores desbrochando porque temos pressa para saber do inútil e esquecemos que acordar todo dia é ummilagre de Deus, e não um simples e corriqueiro acordar já cansado da obrigação de viver...e perdemos o arco-íris que cruzou sobre nossa cabeça, e não vimos, e desta forma triste vamos tentando viver.
    ps.Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu amigo Jair Machado, obrigado pelo comentário substancial. Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

      Eliminar
  4. Amigo Dilmar, concordo contigo nesse lindo texto reflexivo, mas o importante é que percebes e eu também, pois estamos ligados nas belas coisas que a natureza nos presenteia.
    Vamos ver o Arco- Iris por aqui entes que ele se vá, ou melhor, ele nunca nos abandonará, pois foi o pacto que Deus fez com o homem, em nunca mais interferir, Sua última interferência foi quando houve o Dilúvio, pelo menos foi o que entendi na escritura bíblica!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga Ivone, obrigado pelo comentário. Um abração. Tenhas, sei que terás, um lindo fim de semana.

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito.
    Depois é tarde...é assim mesmo, a vida pede urgências, e esquecemos do simples. E o simples é tão grandioso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paula, obrigado pela visita. Volte sempre que quiser. Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  7. Bello poema, Dilma.
    Saludos.
    Feliz fin de semana.
    Lola Barea.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lola, obrigado pela visita. Volte sempre que quiser. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenga un belo fin de semana.

      Eliminar
  8. Boa tarde Dilmar.
    Devemos olhar a nossa volta e observar as coisas belas da vida, amo a natureza, gosto de coisas simples, como olhar o sol se pondo, sentar embaixo de uma arvore , andar a beira mar, rsrs, coisas assim. Um belo texto, que sirva de alerta para muitos que deixam as belas coisas da vida passar despercebidas. Um feliz final de semana.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Mirtes, que bom que tu és uma apreciadoras das belezas naturais. Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  9. É verdade, por vezes estamos tão «distraídos» que deixamos de perceber a
    beleza que nos rodeiam, bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Zulmira. Volte sempre que quiser. Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  10. Por essa razão adoro o que vc escreve, por retratar a realidade pura e simples. Parabéns, amigo Dilmar. Muita paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Denise, obrigado pelas palavras carinhosas. Um abraço. Tenhas um fim de semana abençoado.

      Eliminar
  11. Por essa razão adoro o que vc escreve, por retratar a realidade pura e simples. Parabéns, amigo Dilmar. Muita paz!

    ResponderEliminar
  12. Lindo poema!
    Enquanto te comento, olho pela janela e vejo muitas árvores e pássaros. aqui, é impossível ignorar a natureza...

    ResponderEliminar
  13. Ana, obrigado pelo comentário. Tu és feliz por estar próximo das árvores e dos pássaros. Um abraço. Tenhas um lindo domingo.

    ResponderEliminar
  14. Olá Dilmar!
    Quero acrescentar aqui, minha decepção neste final de ano, quando reencontrei em Ubatuba uma cunhada, que eu julgava ser menos alienada. Ao me ver disse;" Sabe aquele livro que você me emprestou há um ano? Ontem eu fui á praia e já li até o meio"!
    Meu Deus, eu vou á praia para ver tudo que é possível, menos baixar a cabeça e ler seja lá o que for!
    E seu poema vai fundo na questão!
    Um dia será tarde demais!
    Um forte abraço e boa semana!

    VitorNani & Hang Gliding Paradise

    ResponderEliminar