sábado, 10 de janeiro de 2015

MARCEL PROUST

Coisa interessante a abstração da arte
a mexer com os sentidos e a intelecção
a nos transportar  para outra realidade,
mas ainda realidade, pois tal signo abrange
tudo em torno e afastado do indivíduo
porque quando nos abstraímos  sobremaneira
da dita realidade objetiva e concreta
não ficaremos por certo desamparados,
pois ainda nos resta a realidade subjetiva...
Tais divagações vieram a ter comigo,
agora quando relia o volume primeiro
da obra Em busca do tempo perdido
do memorável Marcel Proust,
me encontrando fustigado pela canícula,
que assola nosso lendário PA-TRO-PI,
mesmo estando no sul do gigante adormecido,
ainda assim o termômetro confessa 35ºC...
Estava naquela passagem em que o autor nos revela:
"Depois acontecia uma simples variação atmosférica
rica bastante para provocar em mim essa modulação
sem que houvesse a necessidade de aguardar
o retorno de uma estação do ano. Pois muitas vezes
encontramos perdido em uma delas um dia de outra estação..."
Que reconforto, que felicidade para a alma podermos conectar
a aura espiritual e poética de um gênio de tal dimensão...



13 comentários:

  1. Amigo Dilmar, que bela reflexão, também penso e muito nos acontecimentos atuais, aí meu amigo, tenho vontade de fazer como você, pegar livros literários de autores antigos, quem sabe nos dão o alento necessário para continuarmos nessa árdua luta da alma presa em um corpo, né mesmo?
    Não li Marcel Proust, mas estou lendo Assassins Creed, ( meu neto leu e me incentivou a ler), estou no segundo livro, também nos mostra os tempos bem antigos, de Leonardo Da Vinci, nos instiga a pensar, amo isso, acredito até que se não fosse a literatura, minha mente estaria já falhando,rsrs!
    Amei ler por aqui como sempre, deixo um abraço bem apertado lhe desejando um ótimo sábado!
    PS. Aqui em Sampa está um calor de rachar também, estou me preparando para ir de novo a Manaus rever meu filho e sua família, (ele mudou pra lá faz um ano), só estou pensando, pois conheço o calor de lá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, obrigado pela visita e obrigado pelo carinho de sempre. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  2. Com um calor desse só a companhia de uma bela obra literária para deixar a mente divagar e nos libertar dessa sensação de letargia e você como grande poeta já compôs um belíssimo poema
    Um excelente final de semana
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Gracita, obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  3. Boa noite Dilmar

    Adorei o seu texto!!

    Daqui de Aveiro: deixo um Beijo e bom final de semana.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  4. Soneto-acróstico
    A MP

    Talvez Proust dotado de antevisão
    Em seu Em busca do tempo perdido
    Mais que perfeita obra prima então
    Previu aquilo que poderia ter sido.

    Onde o tal tempo que perdido está
    Sobra-nos apenas mera indagação
    Por ter se perdido, o tempo não há
    E não esperemos qualquer solução.

    Resta-nos pois em Proust acreditar
    Dele extrair o mais profícuo sumo
    Indo ao encontro de novo patamar.

    Demandar esse tão acurado rumo
    Onde até a felicidade pode estar
    Saber que a vida é apenas resumo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo poeta Jair, obrigado pelo belo soneto-acróstico.
      Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  5. Proust, esse grande filósofo, em meu entender, já na época, via a catástrofe ecológica para a qual mundo caminha à passos largos. O aquecimento global já mostra - espero que esteja equivocado - suas garras devastadoras e sem retorno. Não obstante, por enquanto, com calor ou não, vamos seguir vivendo...
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo JR, obrigado pela visita. Na verdade Marcel Proust, foi, entre outras coisas, um enamorado da natureza.
      Um abração. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  6. Meu querido amigo e poeta Dilmar, nos dias escaldantes que passamos, lembrar de Proust dá um certo alivio climático rs. Pois o calor nos trás miragerm, altera nossa percepção, e com Proust aprendi a misturar os sentidos, assim como o cheiro me trás lembranças...é tão enriquecedor teu poema...e é tão quente o dia de hoje.
    ps.Carinho respeito e abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido amigo Jair Machado, realmente, Proust é um refrigério para a alma.
      Proust é magnífico!
      Um abraço. Tenhas uma excelente semana, apesar de todo esse calor.

      Eliminar
  7. Em busca do tempo perdido,
    retorno mais não terá
    levando a arte no sentido
    interessante inteligência será.
    Transportada na realidade
    não o seja de qualquer maneira
    com seriedade amor e felicidade
    seja nesta vida sempre verdadeira
    Ao que se referem fazem sentido,
    o seu poema imaginado ou não
    está de todo muito bem escrito
    palavras colocadas na perfeição!

    Boa noite, um abraço, amigo Dilmar,
    Eduardo.

    ResponderEliminar