quarta-feira, 27 de julho de 2016

A LUA

A Lua, quando jovem, vivia encantada
com a veneração devotada pelos casais,
enamorados, contemplando sua luz...
Mas até a  felicidade neste mundo
tem suas crises, seus altos e baixos...
e a Lua despida de gente e de tudo,
e distante   de   um ombro   amigo
entrava em depressão profunda
à medida que ninguém a ouvia...
Mas, de repente, com seus botões:
Vingarei-me de vocês, humanos,
passarei  por metamorfoses,
murchando, escondendo-me
 reaparecendo em fatias,
mostrando-me menos,
por inteira...
e se não gostarem,
se mudem...





15 comentários:

  1. Metamórfica selene
    Não nos deixe sem luar
    Seja uma guia perene
    Do ato de namorar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Jair, obrigado pela visita através destas quadrinhas criativas e saborosas.
      Um abraço. Tenhas um BOM DIA.

      Eliminar
  2. Acróstico

    Ah, lua que tem fases
    Longe daqui, mas perto
    Uma de minhas frases:
    Abandonar-nos é certo?

    ResponderEliminar
  3. Acróstico

    Àquela que enfeitiça
    Lá no alto, muito além
    Um dia a mais na liça
    Ajude no chão alguém.

    ResponderEliminar
  4. A Lua, a minha grande inspiração!Belo texto


    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Cidália, a Lua inspira a todos nós. A Lua é uma Fada, uma Rainha, uma Deusa.
      Obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

      Eliminar
  5. Eu sempre achei que a Lua era a maior amiga dos poetas! Inspirações belas. Não destaco nenhum fragmento melhor do que o outro, todo poema bonito demais, amigo Dilmar. Parabéns!
    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente, cara amiga Tais, a Lua é uma fonte imensa de inspiração. Obrigado pelo afeto. Um abraço. Tenhas uma linda tarde. Hoje o dia está mais bonito, com céu aberto...

      Eliminar
  6. Dilmar,
    E como negar que a lua foi feita para os poetas? Esconde-se ela, em parte, como castigo a todos nós. As outras partes escondem-se nos livros de poesia.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro, digamos que a gente (os poetas) queremos, de forma egoísta, sugar a beleza da lua, mas, em contrapartida, ela rebela-se e todo mês retira de campo, por alguns dias, seu fulgor. Obrigado pelo comentário inteligente. Um abraço. Tenhas uma ótima tarde.

      Eliminar
  7. Corre a lua iluminada,
    mais do que um caracol
    para não ser apanhada,
    atrás da lua anda o sol!

    A lua não perde a esperança,
    o sol não a consegue apanhar
    enquanto de dia a lua descansa
    de manhã, nasce sol para a terra iluminar!

    Boa tarde amigo Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima tarde.

      Eliminar
  8. Que lindo, somente um poeta para escrever coisas tão linda.
    Me emocionei com este belo poema.
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Anajá, obrigado pelo carinho. Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

      Eliminar
  9. É amigo Dilmar, até a lua se cansa...eu, como a lua também to cansada, não que eu seja ignorada mas por não compreender tantas coisas...me sinto só como a lua e me mostro em ínfimas fatias, Jamais brilho escancarada e nua.
    A braços, amigo!

    ResponderEliminar