sexta-feira, 22 de julho de 2016

PREFERIA O MEDO ESTÉTICO

Li um livro nos anos setenta,
"A Cara Engraçada do Medo"
de um repórter-jornalista,
Murilo Carvalho.
Um bom livro, mas o medo
não era assim tão engraçado.
Era o medo rural. O medo
dos poucos afortunados.
Para nós que líamos, de longe
(e egoístas que somos),
era o medo dos outros,
era o medo fictício.
Era o medo da chuva,
dizia  Raul...
Até dá um pontinha de saudade
do velho medo estético,
porque hoje o medo é real
e está nas nossas entranhas...


13 comentários:

  1. Amigo Dilmar, bem colocado em versos os medos de antigamente e os de hoje, estamos nos tornando escravos do medo, não há mais segurança em nenhum lugar, como dizes, o medo é real!
    Não sou medrosa, acho que é por nunca ter sofrido nenhuma ameaça?!
    Boas reflexões por aqui, com base em em bom livro lido nos anos setenta, hoje tudo está mesmo bem mudado, muda-se tudo até os medos!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ivone, obrigado pela visita.Um abração. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  2. Acróstico
    Ao medo

    O homem só vive desconfiado
    Meio que tudo, medo lhe traz
    Ele vê o perigo para todo lado
    Duvida que uns tempos atrás
    O medo já fora até engraçado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Jair, obrigado pela visita poética. Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Gostei do texto!

    Beijos bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  5. Medo é sempre medo,
    seja estático ou não
    um ferimento num dedo
    sente a dor o coração.
    o medo de cara engraçada
    com os olhos cheios de ramelas
    por ser medonho não lava a cara
    deita-se e levanta-se com elas.
    Não acredito em feitiços,
    por isso dele não tenho medo
    serão pois, piores os picos
    de um ouriço caixeiro?

    Boa noite e bom fim de semana, amigo Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita poética. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  6. Concordo com vc, hj nosso medo
    é
    bem maior e todo cuidado é pouco
    convido para participar do meu sorteio venha me
    visitar


    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Rita, obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  7. Amigo Dilmar, o medo de hoje não é aquela de anos atrás, em que a gente dominava, hoje é um pavor chamado paranoia!! Descobriram o antídoto mas não conseguem fazer a vacina... Não há interesse.
    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso ai, cara amiga Tais. Obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma linda semana, semana que vem com promessa de chuva.

      Eliminar