segunda-feira, 4 de julho de 2016

NÃO SABEMOS NADA

Primeira metade do ano já era
A segunda parcela é espectativa
ignoramos os eventos futuros
não temos  bolas de cristais à mão
e mesmo  que as tivéssemos talvez
nos fossem de pouca valia
porque não  temos permissão
para ver nossos passos à frente
daquilo que dizemos "o agora"
tal como ainda nos é negado
um passeio por outros planetas
nesta atual existência...

14 comentários:

  1. Soneto-acróstico
    No escuro

    As vezes se acha deus poderoso, o homem
    Já se vê abrindo todas as portas e janelas
    Assim, esquece que seus poderes somem
    Na hora de abordar o tempo e suas querelas

    Ele tenta domar e colocar rótulo nesse ente
    Logo percebe toda inutilidade desse gesto
    A zero resultado chega, por mais que tente
    Faz bastante e chega a um fim tão modesto.

    Então pensa em vasculhar possível futuro
    Canta também alcançar os outros planetas
    Homem visionário, pés no chão e inseguro!

    Ainda não sabemos nada, somos ceguetas
    Duvidamos das coisas e estamos no escuro
    Apesar de nossa ignorância, somos xeretas.

    ResponderEliminar
  2. Perfeito, meu caro amigo poeta Jair, muito bom teu soneto. Pois então, por vezes, esquecemos as nossas limitações e ficamos xeretando possibilidades de prever o futuro, além de bolar planos com viagens interplanetárias, enquanto o real presente nos chama para para agir no aqui e no agora.
    Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  3. Perfeito, meu caro amigo poeta Jair, muito bom teu soneto. Pois então, por vezes, esquecemos as nossas limitações e ficamos xeretando possibilidades de prever o futuro, além de bolar planos com viagens interplanetárias, enquanto o real presente nos chama para para agir no aqui e no agora.
    Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  4. Como sempre, belo texto!

    De centro de Portugal, deixo um beijinho.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Cidália, obrigado pela visita de além-mar. Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

      Eliminar
  5. Não sabemos nada,
    quando nada escondemos
    não fazemos trapalhada
    porque bem fazemos!

    Tenha uma boa noite amigo Dilmar, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Eduardo, obrigado pela visita de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  6. Amigo Dilmar, não sabemos nada, apenas especulamos e vivemos se possível o presente, acho que o aqui e agora é sempre o que importa!
    Seu post despertou os poetas acima, aqui só deixo o meu parecer, que o ano, depois de junho passa com uma rapidez esplêndida, pois depois das festas juninas só esperar as festas de fim de ano!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, querida amiga Ivone. No escritório onde trabalho há 20 anos, a diretora da empresa sempre fala à entrada de julho: em seguida estaremos no fim do ano. E pior que verdade!
      Esta existência passa depressa. Um abraço. Tenhas, sei que terás, uma boa noite.

      Eliminar
    2. Para completar, amiga Ivone, a diretora diz também, olha estamos todos velhos, entretanto, ela ainda é nova, pois quando a firma começou em 1996, ela tinha apenas 23 anos, nós outros, hoje estamos, alguns tipo eu, com sessenta e tantos...
      Um abraço.

      Eliminar
  7. Se a humanidade soubesse o dia de amanhã, todos fariam tudo para se arrumarem: malas feitas, muitos pixulecos e bilhões de propinas para garantir os novos tempos, mesmo em Marte, Saturno... A humanidade faria isso, temos exemplos fartos!
    Mas o máximo que consigo é sonhar em estender meu agora...

    Abraços, amigo Dilmar, prepare os casacos para quarta-feira!!! Zero graus de madrugada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, nossos casacões estão a postos, afinal aqui temos de estar sempre de prontidão; no passado era a preparação de defesa às guerras, mas ainda bem que hoje a guerra é para vencer o frio.
      Obrigado pela visita. Tenhas uma ótima semana.

      Eliminar
  8. Oi, Dilmar!
    "E vamos que vamos"! Tatuando os dias com palavras, alimentando-nos de devaneios e... sonhando!
    Assim corre o tempo dos poetas, (as vezes)!
    ...E o tempo não para!
    Beijo carinhoso, feliz semana!

    ResponderEliminar
  9. Cara amiga Jossara, gostei da expressão "tatuando os dias com palavaras". Achei poético. Pois o tempo não pára. Ele é um pássaro veloz. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderEliminar