terça-feira, 12 de julho de 2016

ESSAS LETRINHAS...

Eu tricotava um poema
 durante a madrugada
quando o sono debandou
feito um pássaro caprichoso
na direção da Cochinchina
deixando-me a ver navios,
digo os riscos aleatórios
na folha branca de celulose,
mas, de repente o alfabeto
ficou compactado,
insubmisso,
tipo um novelo de letras
girando à minha volta;
tão perto dos olhos,
tão longe das mãos...
Pensava num soneto,
num quarteto,
num terceto,
num verso livre;
em qualquer coisa
simples, banal...
mas as letras
continuavam
enoveladas...


10 comentários:

  1. Fabuloso, como sempre.

    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado cara amiga Cidália pela visita de além-mar. Um abraço d aqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  2. Acróstico

    Amigo Dilmar, todas as letras têm vida
    Sabem o que significar, e até quando
    Logo, cada uma não se vê submetida
    Entre sílabas que não está esperando.

    Tudo que a letra quer é ser entendida
    Residindo num teor que a vá levando
    Até para não parecer triste e perdida
    Sabe-se até quando está no comando.

    Tuas letras te boicotaram caro Dirmar
    Êmulas que são de bardos e poetas
    Mas saiba, elas não vão te abandonar
    Vão continuar aí, apenas mais quietas

    Imitando-as, diga-lhes que as irá largar
    Diga-lhes que para você, são corretas
    Apenas que lhe parece serem bipolar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois caro amigo poeta Jair, às vezes, as letras até parecem mesmo bipolareS. No fundo, elas são caprichosas. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Amiga Ana, obrigado pelo carinho. Um abraço. Tenhas uma linda tarde.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Obrigado meu caro amigo Fernando. Um abraço daqui do sul Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  5. Mas vai ver que as letras não têm insônia, Dilmar: elas também dormem...
    Tantas vezes me muni de papel e lápis, levei para a mesa de cabeceira, passei a noite em claro e nada... Aí me conformei, vi que a criação também dorme. Mas no seu caso rendeu esse poema, aliás, muito criativo!

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga Tais, obrigado pela visita. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar