quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

IDADES

Quando minhas pernas cansaram
fui socorrido pela bengala
Se ainda fosse jovem
diriam que sou um dândi
mas como a juventude se foi
dizem que sou mesmo um velho.
Quando os olhos perderam o alcance
submeti-me ao poder das lentes,
porém quando defendo meu ponto de vista,
falam: há controvérsia, por causa da miopia.
Quando meus cabelos cansaram de mim
e começaram a voar em todas as direções,
pensei, peruca é algo que não cola, é retrocesso,
mas, de repente, o chapéu pode salvar a pátria.
entretanto, pensando melhor, isso é bobagem,
porque quase todo mundo nasce sem pelos.

15 comentários:

  1. Oi Dilmar,
    È isso aí, caro amigo! A gente vai fazendo da melhor forma, o que da para melhorar a gente melhora e o que não tem jeito vamos nos adaptando! O importante é sentir a vida em toda sua plenitude! Beijo carinhoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Jossara, obrigado pelo comentário. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  2. Velhice

    Não apenas anos,
    Mas, sim nossa mente que
    Nos fabrica danos.

    ResponderEliminar
  3. Velhice

    O maldito espelho diz que envelheço
    Fenece a tonicidade muscular
    Talvez senilidade seja o preço
    Que todo vivente tem que pagar.

    Degradação corporal é o começo
    Duma velhice que está prá chegar
    E não há como conservar em gesso
    Uma saúde ampla, espetacular.

    E sequer adianta virar pelo avesso
    Tentando desse modo saúde salvar
    Assim ofegante, respirando opresso
    Cansado, encostado num espaldar.

    Então descubro que tudo mereço
    Pois aqui não estamos pra ficar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo Jair, obrigado pela visita poética. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  4. Todo o mundo nasce sem pêlos. Depois nascem os pêlos... Com a idade uns caem outros nascem onde não deviam. É vida... É a idade.. Muito bom

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  5. Muito bom mesmo. Com uma pitada de humor, entrecortada com dor. Muito criativo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, jovem Fábio. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  6. O importante nisso tudo é que a alma permaneça jovem, e a tua Dilmar, pelos belos e inspirados textos, é ainda de um menino!
    abraços, ania..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ania, obrigado pela palavras carinhosas. Um abraço. Tenhas sonhos azuis.

      Eliminar
  7. Concordo com a Ania e ir aceitando o natural passar dos anos.
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Maria. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  8. Por isso a natureza é sábia, meu amigo Dilmar! Proporciona a nós um período de adaptação: entramos nos 40, com mais anos entramos nos 50, 60... e vamos nos moldando ao que podemos fazer e o que não podemos mais. E tem algo que nos ajuda muito, o conformismo! Vamos alterando os músculos, o olhar, os cabelos... mas se a mente estiver boa, damos graças a Deus, é o bem maior que ainda não perdemos! E mantê-lo intacto é a glória!!
    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perfeito, cara amiga Tais, enquanto a mente estiver no comando estaremos no lucro.
      Obrigado pelo comentário. Um abração. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar