sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

SE

Quando perguntaram
a Chico Xavier
porque justo ele,
ícone da humildade,
usava peruca,
esta foi a resposta
do arauto do bem:
a uso para minizar
o efeito da feiura
provocada pela ausência
dos pêlos capilares,
que minha imagem produz,
e eu não tenho o direito
de chocar as pessoas
com a minha fealdade.
Senhores, se os distintos
congressistas de Brasília,
se autoanalisassem
e se mirassem no exemplo
do filho de Pedro Leopoldo
quem sabe se não paravam,
um pouquinho, pelo menos,
de enfear a nossa História.

9 comentários:

  1. SE, não sei o que quer dizer,
    por isso venho aqui perguntar
    faça o favor de me responder
    muito tempo não posso esperar.

    Tenho mais que fazer,
    não sei onde irei parar
    essa história gostei de ler
    boa noite caro poeta Dilmar!

    Bom fim de semana, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro amigo poeta Eduardo, Chico Xavier foi um espírita brasileiro, o símbolo da humildade e da compaixão, mas em um determinado momento começou a usar peruca, fato que chocou, inclusive, alguns admiradores. Então, para tranquilizar os adeptos que estavam meio constrangidos com a cabeleira postiça do Chico, ele veio a público e disse que se sentia muito feito com a ausência de cabelos, mas achava que a peruca minimizava o impacto de tal feiura, portanto, para ele, Chico Xavier, o uso do adereço não uma questão de vaidade, mas o conserto da figura.
      Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

      Eliminar
  2. Pois está aí algo que sempre me perguntei e nunca obtive resposta. Sempre tive admiração por Chico Xavier... Agora fiquei satisfeita!
    Quanto aos nossos congressistas...para tapar tudo, a feiura por dentro e por fora, penso ser algo impossível, é como cobertor curto, puxa em cima, aparece embaixo...A alma fica exposta. Ali, meu amigo, não tem jeito! Só com muita fé!
    Abraços, Dilmar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente, parece que não jeito, exceto, se puserem vergonha na cara, né amiga Tais?
      Obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um ótimo domingo.

      Eliminar
  3. Fantástico texto!

    Beijo. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um ótimo domingo.

      Eliminar
  4. Politicalha

    Há um equilíbrio entre os dois lados do balcão
    Pois nós os elegemos de alguma maneira
    E eles, consequentes, representam o povão
    Então lhes cobramos quando fazem besteira.

    Confesso que eu gostaria que fosse assim
    Que houvesse uma tal cláusula de barreira
    Permitindo dizer não a uns, e a outros sim
    Então, talvez, limpássemos essa sujeira.

    Mas, prática fica longe da teoria
    Vale na política apenas roubalheira
    Porque roubo em Brasília virou epidemia.

    Lá no planalto, mais afana quem mais queira
    E sempre se nega assim: pois eu não sabia!
    Porque lá rouba-se pra uma vida inteira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, meu caro amigo poeta Jair, estamos sob o poder da politicalha, da ladroagem escancarada. Pois já disseram que é necessário reduzir o número de congressistas, não para acabar com a roubalheira, mas com um congresso mais enxuto, seria menos gente roubando...
      Obrigado pela visita. Um abraço. Tenhas um ótimo domingo.

      Eliminar
  5. Olá Dilmar.
    Se tem pessoas urgente que tem que se olharem e se analizarem são os politicos, quem sabe assim toma-se vergonha da feiura que tem mostrado diariamente a cada Brasileiro. Mas infelismente só mesmo um milagre. Abraços.

    ResponderEliminar